Lula deve continuar livre até as eleições

Ministros do Superior Tribunal de Justiça já admitem que o ex-presidente Lula deverá permanecer em liberdade até as eleições de 2018, podendo se deslocar pelo País e fazer campanha; ou seja: mesmo que venha a ser barrado pela Lei da Ficha Limpa, ele poderá pedir votos para um eventual sucessor; ontem, em Chapecó (SC), Lula reuniu uma multidão de apoiadores

Ato em defesa de Lula em Chapecó
Ato em defesa de Lula em Chapecó (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Ministros do Superior Tribunal de Justiça já admitem que o ex-presidente Lula deverá permanecer em liberdade até as eleições de 2018, podendo se deslocar pelo País e fazer campanha. Ou seja: mesmo que venha a ser barrado pela Lei da Ficha Limpa, ele poderá pedir votos para um eventual sucessor. Ontem, em Chapecó (SC), Lula reuniu uma multidão de apoiadores.

As informações são da coluna Painel:

Ministros do Superior Tribunal de Justiça dizem que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem boas chances de continuar em liberdade até o dia da eleição se conseguir habeas corpus no Supremo Tribunal Federal após a Páscoa. Tudo indica que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região rejeitará nesta segunda (26) os embargos apresentados contra sua condenação. Com o habeas corpus, ele poderá recorrer em liberdade ao STJ, onde o caso dificilmente será julgado antes de outubro. Lula terá direito de apresentar ao STJ um recurso especial, que pode levar a modificações na sentença do TRF-4. No ritmo habitual, dizem os ministros da corte, será impossível ouvir as partes envolvidas e concluir a análise do pedido até julho, e depois só restarão dois meses até a eleição. O habeas corpus e o recurso ao STJ não livram Lula da barreira imposta pela Lei da Ficha Limpa à sua candidatura, mas ele poderá continuar viajando pelo país enquanto estiver brigando para registrar sua chapa na Justiça Eleitoral.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247