Maia admite que não há votos para aprovar reforma da Previdência

"A mais estruturante, a mais definitiva, aliás a única [solução] definitiva é a reforma da Previdência, que hoje nós não temos voto para aprová-la, e eu estou deixando bem claro isso entre os líderes", disse o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), Após reunião com os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, além de líderes de bancadas; Maia afirmou que o trabalho para conseguir os votos necessários vai exigir mais tempo de negociações

"A mais estruturante, a mais definitiva, aliás a única [solução] definitiva é a reforma da Previdência, que hoje nós não temos voto para aprová-la, e eu estou deixando bem claro isso entre os líderes", disse o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), Após reunião com os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, além de líderes de bancadas; Maia afirmou que o trabalho para conseguir os votos necessários vai exigir mais tempo de negociações
"A mais estruturante, a mais definitiva, aliás a única [solução] definitiva é a reforma da Previdência, que hoje nós não temos voto para aprová-la, e eu estou deixando bem claro isso entre os líderes", disse o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), Após reunião com os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, além de líderes de bancadas; Maia afirmou que o trabalho para conseguir os votos necessários vai exigir mais tempo de negociações (Foto: Aquiles Lins)

247 - Após reunião com os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, além de deputados líderes de bancada na Câmara, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM), afirmou que o governo de Michel Temer não possui atualmente os votos necessários para a aprovar a reforma da Previdência. 

"A mais estruturante, a mais definitiva, aliás a única [solução] definitiva é a reforma da Previdência, que hoje nós não temos voto para aprová-la, e eu estou deixando bem claro isso entre os líderes", disse Maia.

O presidente da Câmara também afirmou que o trabalho para conseguir os votos necessários vai exigir mais tempo de negociações. "Para mim, o ideal era que a gente conseguisse aprovar a reforma da Previdência hoje. Mas essa maioria não será construída hoje", afirmou.

Por se tratar de uma proposta de emenda à Constituição, a reforma precisa de 308 votos dos 513 deputados para ser aprovada.

 

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247