Maia desmente Jungmann: “Eu pedi a Força Nacional”

Presidente da Câmara negou declarações do ministro da Defesa, Raul Jungmann, e afirmou que não foi ele quem sugeriu a convocação de tropas para a Esplanada, como anunciou o ministro; jornalista Luís Costa Pinto comenta o episódio: "Jungmann mentiu. Tem de cair. Jungmann mentiu usando o nome do presidente da Câmara, que o desmentiu"

Presidente da Câmara negou declarações do ministro da Defesa, Raul Jungmann, e afirmou que não foi ele quem sugeriu a convocação de tropas para a Esplanada, como anunciou o ministro; jornalista Luís Costa Pinto comenta o episódio: "Jungmann mentiu. Tem de cair. Jungmann mentiu usando o nome do presidente da Câmara, que o desmentiu"
Presidente da Câmara negou declarações do ministro da Defesa, Raul Jungmann, e afirmou que não foi ele quem sugeriu a convocação de tropas para a Esplanada, como anunciou o ministro; jornalista Luís Costa Pinto comenta o episódio: "Jungmann mentiu. Tem de cair. Jungmann mentiu usando o nome do presidente da Câmara, que o desmentiu" (Foto: Ana Pupulin)

247 – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), negou que tenha solicitado ao governo federal a convocação de tropas do Exército para atuar na região da Esplanada dos Ministérios, como anunciou o ministro da Defesa, Raul Jungmann, em coletiva de imprensa.

No plenário da Câmara, Maia confirmou que solicitou ao governo, sim, o apoio da Força Nacional. "Se o governo decidiu adotar outra medida, essa é uma responsabilidade do governo", disse.

Em seu Facebook, o jornalista Luís Costa Pinto, de Brasília, comparou Jungmann ao Cabo Anselmo e cobrou a queda do ministro:

Jungmann é um desqualificado no exercício de um ministério que implorou por ganhar. Há que se perguntar: quantos cabos Anselmo haveria infiltrados nas manifestações de hoje em Brasília? Por que não crer que na correria para salvar a pele e livrar algo da pilhagem promovida em poucos meses de governo, esse grupo não infiltrou 'falsos radicais' com a missão de incendiar ministérios e tocar o terror na Esplanada? O Cabo Anselmo cumpriu esse papel por meio da Associação de Cabos e Sargentos. E levou Jango a um jantar, açulou vários por discursos provocativos, e aquilo foi usado como estopim e desculpa para o golpe de 1º de abril de 1964. Jungmann mentiu. Tem de cair. Jungmann mentiu usando o nome do presidente da Câmara, que o desmentiu.

 

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247