Maia: impeachment de Temer não pode ser avaliado como em “drive-thru”

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que os pedidos de impeachment do presidente Michel Temer têm que ser analisadas com "paciência" e não podem ser decididos como se estivesse num "drive-thru"; Maia, que por ser o presidente da Câmara tem a prerrogativa de acolher denúncias por crime de responsabilidade contra o presidente da República, disse não querer ser um "instrumento de desestabilização" do governo; "Eu não posso avaliar uma questão tão grave como esta num drive-thru", afirmou; "Quanto tempo se discutiu aqui a crise do governo Dilma? As coisas não são desse jeito", completou

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e Michel Temer
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e Michel Temer (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira que os pedidos de impeachment do presidente Michel Temer têm que ser analisadas com "paciência" e não podem ser decididos como se estivesse num "drive-thru".

Maia, que por ser o presidente da Câmara tem a prerrogativa de acolher denúncias por crime de responsabilidade contra o presidente da República, reafirmou nesta quarta que não pretende ser um "instrumento de desestabilização" do governo.

"Eu não posso avaliar uma questão tão grave como esta num drive-thru", disse Maia. "Não é assim, não é desse jeito. Quanto tempo se discutiu aqui a crise do governo Dilma? As coisas não são desse jeito."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247