Mantega atribui crise no BB a "fofocas"

Ministro da Fazenda disse que Banco do Brasil e Previ esto funcionando muito bem e que a crise "tem de acabar"

Mantega atribui crise no BB a "fofocas"
Mantega atribui crise no BB a "fofocas" (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quinta-feira que a crise no Banco do Brasil é feita de “fofocas”. Segundo ele, a crise “tem que acabar”, porque pode prejudicar o banco e o fundo de pensão Previ, também envolvido na polêmica. “As duas instituições estão funcionando muito bem. Isso que é importante para o governo”, disse Mantega.

Para o ministro, é difícil identificar a origem das fofocas, mas elas não podem continuar atrapalhando o funcionamento das duas instituições. “O BB está aumentando o crédito, baixando juros e com rentabilidade elevada. A Previ está cumprindo seu papel com rendimenos excepcionais. Ninguém assume a responsabilidade das fofocas que estão sendo colocadas. A situação tem que acabar pois, em algum momento, poderia prejudicar a atuação das instituições", declarou.

O origem da crise seria um desentendimento entre os presidentes do Banco do Brasil e da Previ, Aldemir Bendine e Ricardo Flores. A disputa pelo poder no banco acabou resultando na publicação de dados pessoais do ex-vice-presidente Allan Toledo Simões, exonerado no fim de 2011. A publicação das informações de Toledo levou o Ministério da Fazenda a ordenar a apuração de um possível vazamento de sigilo bancário do ex-funcionário.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email