Manuela ridiculariza o dono da Riachuelo

“A independência do Brasil tem relação com a nossa soberania, com os projetos em que os trabalhadores sejam parte central da sua construção e precisamos debater isso com a população”, disse a pré-candidata do PCdoB, Manuela D'Ávila; em vídeo, ela rebateu fala do empresário Flávio Rocha

Manuela D'Ávila
Manuela D'Ávila (Foto: Leonardo Attuch)

Da revista Fórum – Direto de Lisboa, em agenda internacional, a pré-candidata do PCdoB à Presidência da República, Manuela D’Ávila criticou o artigo do empresário Flávio Rocha, dono das lojas Riachuelo em que defende projetos neoliberais como saídas para a crise no Brasil. O manifesto foi anunciado nesta quarta-feira (17) em Nova York e divulgado nesta quinta (18) pelo jornal brasileiro

Flávio Rocha é defensor da reforma Trabalhista de Temer, já foi condenado por trabalho escravo e considerou “ótimo” quando foi revogada a portaria do trabalho escravo.

Na opinião da pré-candidata, o que mais incomoda no texto é a ideia dele dizer que os 200 anos da independência brasileira merece esse liberalismo que ele defende. “Quando na realidade o sonho do Brasil que nós defendemos e a construção dessa nova independência que o Brasil deve viver é justamente o oposto disso”.

Manuela explica que é preciso debater um projeto de nação em que o Estado sirva a maior parte da população e não um projeto que defenda alguns banqueiros e grandes empresários.

“A independência do Brasil tem relação com a nossa soberania, com os projetos em que os trabalhadores sejam parte central da sua construção e precisamos debater isso com a população”, concluiu a pré-candidata do PCdoB. (com informações do Vermelho e do Valor)

Inscreva-se na TV 247 e confira a fala de Manuela:


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247