Marco Aurélio reage a Eduardo Bolsonaro e à ameaça de um novo AI-5: 'Ventos estão levando embora ares democráticos'

O ministro Marco Aurélio Mello, do STF, condenou ameaça de Eduardo Bolsonaro de um novo AI-5 no Brasil, caso a esquerda continue a "pressionar" o governo Bolsonaro. Na visão do ministro, "a toada não é democrática-republicana. Os ventos, pouco a pouco, estão levando embora os ares democráticos"

(Foto: STF | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O ministro Marco Aurélio Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que a declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sobre a possibilidade de edição de um "novo AI-5" indica os "ares democráticos" estão sendo levados embora.

"A toada não é democrática-republicana. Os ventos, pouco a pouco, estão levando embora os ares democráticos", afirmou Marco Aurélio em mensagem enviada ao jornal Folha de S.Paulo. 

A afirmação de Eduardo foi feita em entrevista à jornalista Leda Nagle realizada na segunda (28) e publicada nesta quinta (31) no canal dela no YouTube. O Ato Institucional número 5, assinado em 1968, durante a ditadura militar, resultou no fechamento do Congresso e na suspensão de direitos políticos.

PUBLICIDADE

"Tudo é culpa do Bolsonaro, percebeu? Fogo na Amazônia, que sempre ocorre —eu já morei lá em Rondônia, sei como é que é, sempre ocorre nessa estação— culpa do Bolsonaro. Óleo no Nordeste, culpa do Bolsonaro. Daqui a pouco vai passar esse óleo, tudo vai ficar limpo e aí vai vir uma outra coisa, qualquer coisa —culpa do Bolsonaro", disse ele.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email