Marco Aurélio sobre PEC da segunda instância: uma tentativa de ultrapassar a decisão do Supremo

O ministro do STF Marco Aurélio comentou a intenção de uma ala parlamentar em votar a PEC sobre possível prisão após condenação em segunda instância. Para ele, a PEC seria uma afronta à Suprema Corte

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio afirmou que a a PEC da segunda instância seria uma afronta à Suprema Corte, isso porque o tema foi debatido e votado pelos ministros na última quinta-feira (7). A PEC propõe alterar o entendimento da Constituição para que sejam permitidas prisões após condenação em segunda instância.

O ministro também ressaltou que é preciso avaliar se o texto da PEC respeita o princípio da presunção de inocência garantido pela Constituição Federal e que, como cláusula pétrea, só pode ser alterado pelo Poder Constituinte.

"Primeiro, seria uma tentativa de ultrapassar a decisão do Supremo, que foi tomada em processos objetivos. E em segundo lugar, teríamos que examinar se essa nova redação é harmônica ou não com a cláusula constitucional do inciso 57 do artigo 5º, que advém do poder constituinte originário", disse Marco Aurélio.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247