Marina deixa claro que aliança com PSB tem prazo

Nesta quarta-feira 22, Marina Silva volta a pedir filiações e assinaturas para o Rede -- e não para o PSB, partido ao qual está filiada; "Neste link, vocês encontram todas as informações sobre a filiação ao partido", explica a ex-senadora em sua página no Facebook; "Muitas pessoas têm me perguntado sobre o processo de filiação da Rede", completa ela; para evitar briga com 'a noiva', que faz diferentes exigências e vetos à política de alianças dos socialistas de Eduardo Campos, direção nacional da legenda adiou para março a definição de composições regionais; a pergunta é: faz sentido para Campos se submeter a todas as vontades de Marina num casamento que, já se vê, é apenas transitório?

www.brasil247.com - Nesta quarta-feira 22, Marina Silva volta a pedir filiações e assinaturas para o Rede -- e não para o PSB, partido ao qual está filiada; "Neste link, vocês encontram todas as informações sobre a filiação ao partido", explica a ex-senadora em sua página no Facebook; "Muitas pessoas têm me perguntado sobre o processo de filiação da Rede", completa ela; para evitar briga com 'a noiva', que faz diferentes exigências e vetos à política de alianças dos socialistas de Eduardo Campos, direção nacional da legenda adiou para março a definição de composições regionais; a pergunta é: faz sentido para Campos se submeter a todas as vontades de Marina num casamento que, já se vê, é apenas transitório?
Nesta quarta-feira 22, Marina Silva volta a pedir filiações e assinaturas para o Rede -- e não para o PSB, partido ao qual está filiada; "Neste link, vocês encontram todas as informações sobre a filiação ao partido", explica a ex-senadora em sua página no Facebook; "Muitas pessoas têm me perguntado sobre o processo de filiação da Rede", completa ela; para evitar briga com 'a noiva', que faz diferentes exigências e vetos à política de alianças dos socialistas de Eduardo Campos, direção nacional da legenda adiou para março a definição de composições regionais; a pergunta é: faz sentido para Campos se submeter a todas as vontades de Marina num casamento que, já se vê, é apenas transitório? (Foto: Gisele Federicce)


247 – A ex-senadora Marina Silva tem deixado claro, em diferentes atitudes, que sua passagem pelo PSB é transitória. Na prática, agora, ela continua a colher, em sua página no Facebook, adesões e assinaturas para o Rede - e não para o PSB.

"Muitas pessoas têm me perguntado sobre o processo de filiação da Rede. Neste link, vocês encontram todas as informações sobre a filiação ao partido, que ainda não obteve o registro do TSE, mas que já é um partido de fato", escreveu Marina nesta quarta-feira 22, na rede social.

Em outra publicação, ela comemora o alcance de 400 mil fãs na página da Rede, também no Facebook. Lá, Marina convida, com sua assinatura: "Traga mais amigos para esta rede".

O comportamento é bem diferente do de Campos, que mais de uma vez por dia publica fotos ao lado de Marina e destaca frases da ex-ministra.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nas redes sociais, nem sempre os textos e imagens postados por Marina em suas páginas têm atrelada a marca do partido do presidenciável Eduardo Campos. Por outro lado, ela estimula e promove a filiação de aliados ao seu grupamento, o Rede Sustentabilidade, que, como diz ela própria, "já é um partido de fato", apesar de não ter sido registrado pelo TSE a tempo das eleições de 2014.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Campos age de maneira bem mais disciplinada e responsável com a aliança feita. Nas entrevistas do presidenciável, também é frequente ele destacar a importância, na história da política, da aliança entre o PSB e o Rede. Isso sem contar o fato de o PSB já ter cedido – mais de uma vez – aos vetos da provável futura vice na chapa de Campos contra aliados que já haviam acertado apoio à campanha dele à Presidência da República.

A pergunta que cabe neste cenário é: faz sentido para Eduardo Campos se submeter a todas as vontades de Marina num casamento que, já se vê, é apenas transitório?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em São Paulo, por exemplo, uma aliança sólida do PSB com o governador Geraldo Alckmin, do PSDB, está sendo desmanchada. Por vontade de Marina, que Campos parece estar atendendo, o PSB busca lançar candidato próprio no Estado.

Houve também afastamento da legenda com os ruralistas, depois que a ex-senadora criticou duramente o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), aliado de Campos.

Justamente para tentar sanar as divergências entre PSB e Rede, ou mesmo tentar convencer Marina da importância de algumas alianças estaduais, a cúpula dos socialistas, depois de seis horas de reunião nesta terça-feira 21, decidiu adiar para o final de março o início das discussões sobre as instâncias estaduais. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Tudo para não contrariar a 'noiva' Marina, que, aliás, ainda não deu garantias plenas de subirá mesmo no altar para ser vice de Campos. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email