Marina diz que Temer na presidência daria 'bololô'

Ex-ministra Marina Silva (Rede) disse que uma eventual chegada ao poder do vice Michel Temer por meio do impeachment resultará em um "bololô", provocando uma confusão ainda maior que a atual; em entrevista ao Programa do Jô, ela afirmou que o afastamento da presidente por meio do impeachment seria apenas uma "formalidade" e não cumpriria sua "finalidade"; e que a melhor saída para atual crise vivida pelo Brasil é a impugnação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com novas eleições ainda em 2016; Marina disse que ainda não definiu se será candidata novamente, mas que "o mais importante é dar contribuição genuína"

Ex-ministra Marina Silva (Rede) disse que uma eventual chegada ao poder do vice Michel Temer por meio do impeachment resultará em um "bololô", provocando uma confusão ainda maior que a atual; em entrevista ao Programa do Jô, ela afirmou que o afastamento da presidente por meio do impeachment seria apenas uma "formalidade" e não cumpriria sua "finalidade"; e que a melhor saída para atual crise vivida pelo Brasil é a impugnação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com novas eleições ainda em 2016; Marina disse que ainda não definiu se será candidata novamente, mas que "o mais importante é dar contribuição genuína"
Ex-ministra Marina Silva (Rede) disse que uma eventual chegada ao poder do vice Michel Temer por meio do impeachment resultará em um "bololô", provocando uma confusão ainda maior que a atual; em entrevista ao Programa do Jô, ela afirmou que o afastamento da presidente por meio do impeachment seria apenas uma "formalidade" e não cumpriria sua "finalidade"; e que a melhor saída para atual crise vivida pelo Brasil é a impugnação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com novas eleições ainda em 2016; Marina disse que ainda não definiu se será candidata novamente, mas que "o mais importante é dar contribuição genuína" (Foto: Paulo Emílio)

247 - Ex-ministra Marina Silva (Rede Sustentabilidade) disse que uma eventual chegada ao poder do vice Michel Temer por meio do impeachment resultará em um "bololô", provocando em uma confusão ainda maior que atual. Segundo ela, o afastamento da presidente por meio do impeachment seria apenas uma "formalidade" e não cumpriria sua "finalidade".

Marina disse que a melhor saída para atual crise vivida pelo Brasil é a impugnação da chapa Dilma-Temer pelo Superior Tribunal Eleitoral (TSE) e a convocação de novas eleições ainda em 2016. Segundo ela, PT e PMDB "estão implicados igualmente".

Apesar das declarações, a ex-verde negou que já tenha definido se candidatar novamente a Presidência da República. "Não é uma mentira branca nem mentira negra ou preta", destacou. "É a mais profunda verdade e pago um preço muito alto quando digo que não sei se serei candidata. Meu objetivo de vida não é ser presidente, é ver o Brasil melhor", disse em seguida.

Apesar disso, ela observou que pensa em concorrer ao Planalto mas sem "instrumentalizar" a crise. "O mais importante é dar contribuição genuína", destacou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247