Marina volta atrás e quer que Rede vote pelo impeachment

Ex-senadora, que sempre defendeu a cassação da chapa Dilma/Temer e a convocação de novas eleições, defendeu neste sábado 9, nos Estados Unidos, que seu partido vote a favor do impeachment no Congresso; ela disse, porém, que a tendência é que a bancada seja liberada e voltou a afirmar que a solução seja o julgamento no TSE; "O meu entendimento é que o impeachment não se fabrica, ele se explicita do ponto de vista político. Quanto mais ele se explicita, mais a necessidade de julgamento do TSE", disse a jornalistas

Brasília - Marina Silva da Rede Sustentabilidade lança a campanha Nem Dilma Nem Temer, Nova Eleição é a Solução (Elza Fiuza/Agência Brasil)
Brasília - Marina Silva da Rede Sustentabilidade lança a campanha Nem Dilma Nem Temer, Nova Eleição é a Solução (Elza Fiuza/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)

247 - A ex-senadora Marina Silva voltou atrás e defendeu que seu partido, a Rede Sustentabilidade, vote a favor do impeachment na Câmara dos Deputados na próxima semana.

Nos Estados Unidos, onde proferiu uma palestra na Universidade de Chicago a estudantes brasileiros, ela disse, porém, que a tendência é que a bancada seja liberada e voltou a afirmar que a solução seja o julgamento via Tribunal Superior Eleitoral, com a cassação da chapa Dilma/Temer.

"O meu entendimento é que o impeachment não se fabrica, ele se explicita do ponto de vista político. Quanto mais ele se explicita, mais a necessidade de julgamento do TSE", disse a jornalistas após a apresentação.

Ex-candidata ao Planalto, e líder nas pesquisas junto com o ex-presidente Lula para a próxima disputa presidencial, Marina sempre foi defensora a cassação da chapa e a convocação de novas eleições.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247