Marun: condenação por dívida trabalhista não altera nomeação de ministra

Indicada por Michel Temer para o ministério do Trabalho nesta semana, Cristiane Brasil (PTB) já respondeu a duas ações trabalhistas por não assinar a carteira de dois motoristas particulares; para Marun, desistir de nomear Cristiane Brasil pelos processos seria "um completo absurdo"

Indicada por Michel Temer para o ministério do Trabalho nesta semana, Cristiane Brasil (PTB) já respondeu a duas ações trabalhistas por não assinar a carteira de dois motoristas particulares; para Marun, desistir de nomear Cristiane Brasil pelos processos seria "um completo absurdo"
Indicada por Michel Temer para o ministério do Trabalho nesta semana, Cristiane Brasil (PTB) já respondeu a duas ações trabalhistas por não assinar a carteira de dois motoristas particulares; para Marun, desistir de nomear Cristiane Brasil pelos processos seria "um completo absurdo" (Foto: Charles Nisz)

247 - O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, descartou nesta sexta-feira (05), a possibilidade de o governo recuar da nomeação de Cristiane Brasil para o Ministério do Trabalho por conta de uma condenação dela em um processo trabalhista, em entrevista à jornalista Andreia Sadi, da GloboNews.

Indicada por Michel Temer para o ministério nesta semana, a deputada do PTB já respondeu a duas ações trabalhistas por não assinar a carteira de dois motoristas particulares.

Para Marun, desistir de nomear Cristiane Brasil pelos processos seria "um completo absurdo. De acordo com o ministro, por esse critério, milhões de brasileiros não poderiam assumir um cargo". Numa das ações, a nova ministra foi condenada a pagar uma indenização de R$ 60 mil.

 

 
 
 

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247