Marun: governo vai insistir em nomeação de Cristiane Brasil

O ministro Carlos Marun afirmou nesta segunda-feira (5) que o governo de Michel Temer vai insistir na nomeação da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho, mesmo após a revelação do áudio em que ela cobra votos de servidores públicos, argumentando que eles perderiam o emprego se ela não fosse eleita, em 2014; "O governo continua insistindo no reconhecimento da privativa prerrogativa do presidente Temer prevista na Constituição de nomear os seus ministros", disse Marun. "Nós não vamos solicitar que o PTB faça qualquer outra indicação", enfatizou

O ministro Carlos Marun afirmou nesta segunda-feira (5) que o governo de Michel Temer vai insistir na nomeação da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho, mesmo após a revelação do áudio em que ela cobra votos de servidores públicos, argumentando que eles perderiam o emprego se ela não fosse eleita, em 2014; "O governo continua insistindo no reconhecimento da privativa prerrogativa do presidente Temer prevista na Constituição de nomear os seus ministros", disse Marun. "Nós não vamos solicitar que o PTB faça qualquer outra indicação", enfatizou
O ministro Carlos Marun afirmou nesta segunda-feira (5) que o governo de Michel Temer vai insistir na nomeação da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho, mesmo após a revelação do áudio em que ela cobra votos de servidores públicos, argumentando que eles perderiam o emprego se ela não fosse eleita, em 2014; "O governo continua insistindo no reconhecimento da privativa prerrogativa do presidente Temer prevista na Constituição de nomear os seus ministros", disse Marun. "Nós não vamos solicitar que o PTB faça qualquer outra indicação", enfatizou (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Carlos Marun afirmou nesta segunda-feira (5) que o governo de Michel Temer vai insistir na nomeação da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho, mesmo após a revelação do áudio em que ela cobra votos de servidores públicos, argumentando que eles perderiam o emprego se ela não fosse eleita, em 2014. 

"O governo continua insistindo no reconhecimento da privativa prerrogativa do presidente Temer prevista na Constituição de nomear os seus ministros", disse Marun. "Nós não vamos solicitar que o PTB faça qualquer outra indicação", enfatizou o ministro.

A deputada foi escolhida para o cargo no início de janeiro, mas a posse dele foi suspensa por sucessivas decisões judiciais. Atualmente, o caso aguarda uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Também no fim de semana, o jornal "O Estado de S. Paulo" disse que a deputada é investigada em inquérito sobre associação para o tráfico de drogas.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247