Meirelles antecipa retorno de NY, a pedido de Temer. Vai cair?

Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que estava de folga em Nova Iorque, antecipou o seu retorno a pedido de Michel Temer para participar de uma reunião no Palácio do Planalto ainda nesta terça-feira (27); especulação é que as discussões girem em torno da renegociação das dívidas estaduais e da segunda rodada de repatriação; assim como o argentino Alfonso Prat-Gay, que foi defenestrado do Ministério da Fazenda em função dos maus resultados, política econômica de Meirelles aprofundou a recessão e elevou para 12 milhões o número de desempregados no Brasil

Brasília - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente interino Michel Temer durante reunião com líderes da Câmara e do Senado, no Palácio do Planalto. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente interino Michel Temer durante reunião com líderes da Câmara e do Senado, no Palácio do Planalto. (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Paulo Emílio)

247 - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que estava de folga em Nova Iorque, nos Estados Unidos, antecipou o seu retorno ao Brasil a pedido de Michel Temer para participar de uma reunião no Palácio do Planalto ainda nesta terça-feira (27). Apesar do motivo da reunião não ter sido divulgado, a especulação é que as discussões girem em torno da renegociação das dívidas estaduais e da segunda rodada de repatriação de recursos mantidos secretamente no exterior. Além de Meirelles, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, também participa do encontro.

Nesta terça-feira, secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, reuniu-se com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), para discutir a criação de contrapartidas em torno da renegociação das dividas estaduais.

Em Alagoas, onde esteve para lançar um programa de combate à seca, Temer defendeu que estados e municípios fiquem com uma parte das multas arrecadas com recursos originários da repatriação de recursos mantidos ilegalmente no exterior. "Nessa segunda chamada (da repatriação) nós já estamos introduzindo a obrigação de que não só apenas na multa, não só apenas no imposto, mas também na multa haja uma divisão com estados e municípios. De modo a gerar mais dinheiro para os estados e municípios", disse Temer.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247