“Mentiroso, hipócrita, irresponsável, ex-senador”

Demóstenes Torres é humilhado na CPI do Cachoeira; "O sr. não vai para o céu, que não é lugar de mentiroso", atacou deputado Silvio Costa; Pedro Taques fez questão de ordem e Vital do Rêgo encerrou sessão; depois de falar por cinco horas no Conselho de Ética, Torres arguiu direito de ficar calado; medrou?

“Mentiroso, hipócrita, irresponsável, ex-senador”
“Mentiroso, hipócrita, irresponsável, ex-senador” (Foto: Folhapress)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) deu um passo decisivo para sua cassação no Senado, na manhã desta quinta-feira. Ao ir depor à CPI do caso Cachoeira, disse que, por orientação de seus advogados, ficaria calado. Mas para que serve um parlamento? Essencialmente para que os deputados e senadores falem, debatam e exponham suas visões. Diante do absurdo, o deputado Luiz Pitiman (PMDB-DF) deu uma lição de moral ao senador goiano. "Se o senhor, no parlamento brasileiro, não tem nada a falar, eu é que não tenho nada a perguntar", disse Pitiman, antes de pedir licença ao presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-DF). Depois de intenso bate-boca, ele foi liberado e a sessão, suspensa.

Demóstenes apresentou uma defesa de cerca de cinco horas no Conselho de Ética do Senado na última terça-feira. Por isso a atitude de ficar calado na CPI revoltou os presentes. Depois de Pitiman, o deputado Silvio Costa (PTB-PE) tomou a palavra e humilhou Demóstenes. Aos gritos, o petebista o chamou de "ex futuro senador", além de "mentiroso e hipócrita". "O senhor passou cinco horas no Conselho de Ética e não conseguiu se explicar. Mas, aqui, com cinco minutos, o senhor explicou tudo. O seu silêncio é a mais prefeita tradução da sua culpa", ressaltou o deputado. "O senhor apelou para Deus, se disse carola, mas o senhor não vai para o céu porque o céu não é lugar para mentiroso, não é lugar de gente hipócrita", completou, se dirigindo a Demóstenes.

Diante da exaltação dos parlamentares, o senador Pedro Taques (PDT-MT) reagiu: "Todos aqui, enquanto parlamentares, devem obedecer à Constituição Federal, que afirma que o cidadão, seja lá quem for, merece respeito. Fui procurador da República por mais de 15 anos e tenho a convicção de que um parlamentar não pode tratar quem quer que seja com indignidade", argumentou Pedro Taques. A defesa feita por Pedro Taques fez com que Sílvio Costa se voltasse contra ele. Em meio ao tumulto, o presidente da comissão, Vital do Rêgo, encerrou a sessão, que durou pouco mais de 10 minutos.

Com informações da Agência Brasil

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247