Mercadante: condomínio golpista não encontrou nada que pudesse disputar com Lula

O ex-ministro Aloizio Mercadante destacou as consequências negativas do golpe para o Brasil e chamou a atenção para a condenação sem prova do ex-presidente Lula no caso do triplex da OAS; "Espero que se faça justiça e não se aprofunde essa crise de representação. Lula é o candidato da maioria do povo brasileiro, em qualquer pesquisa e em qualquer cenário. O condomínio golpista não encontrou nada que pudesse disputar com o Lula", afirmou

Mercadante: condomínio golpista não encontrou nada que pudesse disputar com Lula
Mercadante: condomínio golpista não encontrou nada que pudesse disputar com Lula
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 -  O ex-senador e ex-ministro do governo de Dilma Rousseff Aloizio Mercadante criticou a condenação sem prova do ex-presidente Lula no caso do triplex da OAS e destacou as consequências negativas do golpe para o Brasil. 

"O Brasil que nós tínhamos até pouco tempo, com estabilidade, distribuição de renda e democracia, hoje é uma pálida sombra. O julgamento está dentro desse contexto histórico. Evidente que não há provas e, portanto, não há crime para sustentar a condenação. Nenhum jurista de respeito veio a público defender essa sentença. Espero que se faça justiça e não se aprofunde essa crise de representação. Lula é o candidato da maioria do povo brasileiro, em qualquer pesquisa e em qualquer cenário. O condomínio golpista não encontrou nada que pudesse disputar com o Lula", afirmou. 

As informações são de reportagem da Folha de S.Paulo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email