Ministro da Defesa pede reunião exclusiva com TSE para discutir eleições

O ministro da Defesa tem buscado uma reunião técnica fora da CTE desde que o TSE rejeitou, em maio, 3 de 7 sugestões das FFAA para aprimorar o sistema eleitoral

www.brasil247.com - Edson Fachin e general Paulo Sergio
Edson Fachin e general Paulo Sergio (Foto: ABr)


247 - O ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, enviou um novo ofício ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, reforçando o pedido para que seja marcada uma reunião exclusiva entre as equipes técnicas das Forças Armadas e da corte eleitoral. 

No ofício, Paulo Sérgio Nogueira defende que uma reunião entre os técnicos seria importante porque não há tempo suficiente na Comissão de Transparência Eleitoral (CTE) para discutir "aspectos técnicos complexos".

"Reitero a necessidade de realizar uma reunião específica entre as equipes técnicas do tribunal e das Forças Armadas, haja vista que o aprofundamento da discussão acerca de aspectos técnicos complexos suscita tempo e interação presencial, que não estão contemplados na supramencionada reunião".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ministro da Defesa tem buscado uma reunião técnica fora da CTE desde que o TSE rejeitou, em maio, 3 de 7 sugestões das FFAA para aprimorar o sistema eleitoral. A resposta causou desconforto nas FFAA, com aliados do general Heber Portella e o próprio Paulo Sérgio Nogueira avaliando que o documento do TSE ridicularizou a equipe cibernética do Ministério da Defesa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O primeiro pedido de reunião exclusiva com o TSE foi feito na quarta-feira, 15, pelo ministro da Defesa. Em resposta divulgada no domingo, 19, Fachin disse que as dúvidas poderiam ser tiradas durante a reunião da CTE desta segunda, 20. No ofício desta segunda, Paulo Sérgio diz que não há tempo suficiente na CTE para discutir "aspectos técnicos complexos".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fachin respondeu, dizendo que o foro adequado para as discussões é a CTE: "Renovo o reconhecimento deste tribunal não apenas pela contribuição das Forças Armadas no âmbito da comissão, mas sobretudo pelo valioso suporte operacional e logístico prestado por elas em todas as últimas eleições". (Com informações da Folha de S. Paulo). 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email