Ministro de Minas e Energia decide permanecer no governo e pode ser expulso do PSB

Contrariando determinação do PSB, Fernando Coelho Filho decidiu permanecer no cargo de ministro de Minas e Energia; de acordo com Coelho, a decisão foi tomada após consulta a Temer e aos representantes do setor elétrico

Brasília - Entrevsita coletiva com o ministros de Minas e Energia, Fernando Coelho Neto (Valter Campanato/Agência Brasil)
Brasília - Entrevsita coletiva com o ministros de Minas e Energia, Fernando Coelho Neto (Valter Campanato/Agência Brasil) (Foto: Charles Nisz)

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, informou hoje (23) que não sairá do governo. No último sábado (20), seu partido, o PSB, decidiu deixar a base de apoio ao presidente Michel Temer.

“Mais do que gestos políticos, o momento exige coragem e atitude. Exige lealdade. A saída do ministério, como orienta meu partido, não contribui para a construção de saída para a crise que enfrentamos. A melhor contribuição que devo dar ao país é o meu compromisso com a missão que me foi atribuída. Por isso, permaneço no ministério”, disse Coelho Filho, em nota.

 Para tomar a decisão, o ministro disse que consultou o presidente Temer, companheiros do Congresso Nacional, sua equipe e representantes do setor elétrico. Na nota, Coelho Filho também diz acreditar que sua atuação no ministério está contribuindo para a retomada do desenvolvimento com um projeto racional e transformador para os setores de energia elétrica, óleo e gás, biocombustíveis e mineração.

“Recebi do presidente a liberdade para escolher e liderar uma equipe técnica, reconhecidamente respeitada, trazendo credibilidade e retomando o diálogo com o setor. Fortalecemos um ambiente de confiança, sadio, propositivo e livre da visão intervencionista e estatizante”, afirmou o ministro.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247