Ministro também favoreceu assessor de Henrique Alves

Primo do deputado, Garibaldi Alves Filho destinou, como senador, uma emenda de R$ 120 mil à empresa de Aluizio Dutra de Almeida, que deixou o cargo ontem após as denúncias; peemedebista é favorito para assumir a presidência da Câmara

Ministro também favoreceu assessor de Henrique Alves
Ministro também favoreceu assessor de Henrique Alves
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O assessor do deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), Aluizio Dutra de Almeida, deixou o cargo ontem. Sua empresa foi acusada de receber recursos por meio de emendas indicadas pelo próprio parlamentar.

Segundo informações do ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, primo do deputado, era Almeida quem cuidava das emendas no gabinete.

Garibaldi, quando era senador até o fim de 2010, também destinou uma emenda de R$ 120 mil à Bonacci Engenharia e Comércio Ltda., a empresa do até ontem assessor de Henrique Alves. 

A empresa foi contratada pela Prefeitura de Campo Grande (RN) para construção de um pórtico. O convênio dela com o Ministério do Turismo ainda está em vigência.

Henrique Alves é favorito para assumir o comando da Câmara a partir do próximo mês. Em 2002, quando ele pretendia ser vice de José Serra, foi abatido com a denúncia, feita pela ex-mulher, de que mantinha US$ 15 milhões no exterior – de onde vem o apelido de "Henriquinho".

Agora, é acusado de direcionar recursos de emendas parlamentares para a empresa do seu próprio tesoureiro de campanha e de usar laranjas para ocultar patrimônio. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email