Ministros do STJ já estudam retomar prisão de Queiroz e Márcia Aguiar em agosto

Para ministros da corte, a decisão de Noronha, que corteja Jair Bolsonaro por uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), de enviar Queiroz e sua esposa para a prisão domiciliar não se sustenta

João Otávio de Noronha e Fabrício Queiroz
João Otávio de Noronha e Fabrício Queiroz (Foto: ABr | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, de enviar Fabrício Queiroz e sua esposa Márcia Aguiar, foragida, para a prisão domiciliar causou descontentamento entre os demais ministros da corte nos bastidores.

Os integrantes do tribunal avaliam que a decisão de Noronha, que flerta com Jair Bolsonaro por uma vaga no STF, não se sustenta, principalmente no que se refere ao relaxamento do regime prisional de Márcia, que está foragida desde a prisão de Queiroz.

Por estarem de recesso os demais ministro do STJ, o presidente da corte, que é o magistrado de plantão durante este período de férias, decidiu monocraticamente pela soltura de Queiroz.

O ministro Félix Fischer deve pautar o assunto logo no início de agosto, quando chega ao fim o recesso forense.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email