Ministros militares de Bolsonaro avaliam que Celso de Mello os tratou como 'bandidos'

A avaliação é decorrente da determinação que os ministros citados por Moro em depoimento, Augusto Heleno (GSI), Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), sejam conduzidos coercitivamente para depor

Ministro Celso de Mello preside sessão da 2ª turma do STF. (28/05/2019)
Ministro Celso de Mello preside sessão da 2ª turma do STF. (28/05/2019) (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os ministros militares do governo Bolsonaro, Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, Walter Braga Netto, da Casa Civil, e Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, ficaram ofendidos com a determinação do ministro do STF Celso de Mello de que sejam ouvidos pela Polícia Federal mesmo que seja preciso usar da "condução coercitiva". Informações do Estado de S. Paulo.

Os ministros avaliam que Celso de Mello os tratou como bandidos. Os militares foram citados por Moro como possíveis testemunhas da interferência política de Bolsonaro na PF.

Para a equipe dos ministros, a decisão do STF foi "desrespeitosa" e "desnecessária".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247