Ministros não querem largar o osso e pressionam Temer a rever reforma

Ministros que serão candidatos em 2018 avisaram Michel Temer que não desejam abrir mão de seus cargos neste ano; aliados do peemedebista no Congresso advertem que em vez de agradar à sua base, o Planalto pode fragilizá-la mais; aliados ressaltam que a pregação por uma mudança na composição da Esplanada nasceu no Congresso, em especial no centrão, que pediu inúmeras vezes a redistribuição dos cargos do PSDB; segundo o senador Romero Jucá, Michel Temer deverá trocar 17 dos 28 ministros

Presidente Michel Temer durante cerimônia, em São Paulo 08/08/2017 REUTERS/Leonardo Benassatto
Presidente Michel Temer durante cerimônia, em São Paulo 08/08/2017 REUTERS/Leonardo Benassatto (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Ministros que serão candidatos em 2018 avisaram Michel Temer que não desejam abrir mão de seus cargos neste ano. Aliados do peemedebista no Congresso advertem que em vez de agradar à sua base, o Planalto pode fragilizá-la mais.

Aliados ressaltam que a pregação por uma mudança na composição da Esplanada nasceu no Congresso, em especial no centrão, que pediu inúmeras vezes a redistribuição dos cargos do PSDB. Ainda assim, admitem que o novo desenho vai demandar muita conversa. As informações são da coluna Painel

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse pelo Twitter, que o pedido de demissão de Bruno Araújo do Ministério das Cidades acabou por "precipitar" o debate sobre a reforma ministerial dentro do governo. De acordo com Jucá, Michel Temer deverá trocar 17 dos 28 ministros.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247