Moro admite que decreto de armas não tem a ver com segurança pública

Sérgio Moro admitiu que o decreto de Jair Bolsonaro que liberou o porte de armas a mais de um milhão de pessoas nada tem a ver com segurança pública e que é pagamento de uma dívida político-eleitoral à base bolsonarista; "Não tem a ver com a segurança pública. Foi uma decisão tomada pelo presidente em atendimento ao resultado das eleições", afirmou o ministro na Câmara dos Deputados

www.brasil247.com - Moro admite que decreto de armas não tem a ver com segurança pública
Moro admite que decreto de armas não tem a ver com segurança pública (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)


247 - O ministro da Justiça, Sérgio Moro, admitiu nesta quarta-feira (8) que o decreto de Jair Bolsonaro que liberou o porte de armas a mais de um milhão de pessoas nada tem a ver com segurança pública e que é pagamento de uma dívida político-eleitoral à base bolsonarista: "Não tem a ver com a segurança pública. Foi uma decisão tomada pelo presidente em atendimento ao resultado das eleições".

Moro fez a afirmação na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados que se reuniu pra debater seu "pacote anticrime".

Moro insinuou que discorda do decreto assinado por Bolsonaro e que foi publicado nesta quarta-feira, concedendo porte de armas a 20 categorias, entre elas políticos, advogados, jornalistas e caminhoneiros e permitindo que crianças e adolescentes tenham acesso a armas. Ele foi questionado mais de uma vez se concordava com a medida e não respondeu.

Indagado pela deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) se concordava com o decreto, Moro evitou dizer se concordava ou não com a medida tomada pelo presidente. "Eventuais divergências são tratadas no âmbito do governo. Isso é normal. Eu aceitei ingressar como ministro por causa de uma convergência do meu projeto, que é avançar contra a corrupção, o crime organizado e crimes violentos. Que é um projeto convergente com o projeto do presidente Jair Bolsonaro. Agora, na formulação das políticas públicas, existe toda uma dinâmica dentro do governo. Tem debate, discussão, divergências, convergências. E isso é absolutamente natural", disse.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email