Moro condena Delúbio e dois empresários a 5 anos de prisão

O juiz federal Sergio Moro condenou na manhã desta quinta-feira o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e os empresários Enivaldo Quadrado e Ronan Maria Pinto a cinco anos de prisão, em regime fechado, pelo crime de lavagem de dinheiro; sentença é referente a um empréstimo realizado em 2004, de R$ 12 milhões, do Banco Schahin ao pecuarista José Carlos Bumlai; empréstimo, porém, seria destinado ao PT, de acordo com a denúncia do Ministério Público Federal (MPF); pagamento do empréstimo teria ocorrido através de um contrato fictício de Bumlai com o banco

O juiz federal Sergio Moro condenou na manhã desta quinta-feira o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e os empresários Enivaldo Quadrado e Ronan Maria Pinto a cinco anos de prisão, em regime fechado, pelo crime de lavagem de dinheiro; sentença é referente a um empréstimo realizado em 2004, de R$ 12 milhões, do Banco Schahin ao pecuarista José Carlos Bumlai; empréstimo, porém, seria destinado ao PT, de acordo com a denúncia do Ministério Público Federal (MPF); pagamento do empréstimo teria ocorrido através de um contrato fictício de Bumlai com o banco
O juiz federal Sergio Moro condenou na manhã desta quinta-feira o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e os empresários Enivaldo Quadrado e Ronan Maria Pinto a cinco anos de prisão, em regime fechado, pelo crime de lavagem de dinheiro; sentença é referente a um empréstimo realizado em 2004, de R$ 12 milhões, do Banco Schahin ao pecuarista José Carlos Bumlai; empréstimo, porém, seria destinado ao PT, de acordo com a denúncia do Ministério Público Federal (MPF); pagamento do empréstimo teria ocorrido através de um contrato fictício de Bumlai com o banco (Foto: José Barbacena)

247 - O juiz federal Sergio Moro condenou na manhã desta quinta-feira o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e os empresários Enivaldo Quadrado e Ronan Maria Pinto a cinco anos de prisão, em regime fechado, pelo crime de lavagem de dinheiro.

A sentença é referente a um empréstimo realizado em 2004, de R$ 12 milhões, do Banco Schahin ao pecuarista José Carlos Bumlai. O empréstimo, porém, seria destinado ao PT, de acordo com a denúncia do Ministério Público Federal (MPF). O pagamento do empréstimo teria ocorrido através de um contrato fictício de Bumlai com o banco.

Segundo o MPF, o real pagamento do empréstimo teria sido através da contratação do Grupo Schahin pela Petrobrás para operar o Navio-Sonda 10.000.

Cerca de R$ 6 milhões teriam sido repassados ao empresário Ronam Maria Pinto. O MPF não conseguiu elucidar o motivo do repasse. “As únicas explicações disponíveis nos autos até o momento dizem respeito a uma suposta extorsão praticada por Ronan Maria Pinto contra dirigentes do Partido dos Trabalhadores, mas o fato ainda não foi esclarecido, nem este crime constitui objeto da denúncia”, esclarece Moro na sentença.

Ronan é dono do jornal Diário do Grande ABC. A Lava Jato suspeita que ele comprou a empresa com R$ 6 milhões que teria recebido via José Carlos Bumlai, pecuarista amigo do ex-presidente Lula que foi preso na Lava Jato, em 24 de novembro de 2015.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247