Na marca do pênalti, Temer cancela todos os seus compromissos

Presidente cancelou tudo o que estava em sua agenda nesta quinta-feira 18, um dia após a delação bomba do empresário Joesley Batista, que dá início ao fim de seu governo; ele nega uma possível renúncia (pedida até por aliados) e diz ser vítima de uma "conspiração"

Brasília - O presidente Michel Temer, ministros e parlamentares participam da abertura da 20ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios (Antonio Cruz/Agência Brasil)
Brasília - O presidente Michel Temer, ministros e parlamentares participam da abertura da 20ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios (Antonio Cruz/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)

247 - Michel Temer cancelou na manhã nesta quinta-feira 18 toda a agenda que tinha no Palácio do Planalto, um dia após a delação bomba do empresário Joesley Batista, que atinge em cheio o peemedebista e dá início ao fim de seu governo.

Temer nega uma possível renúncia (pedida até por aliados) e diz ser vítima de uma "conspiração". "O presidente disse várias vezes que isso é uma conspiração. Ele estava muito firme e lamentou muito toda a situação. Disse que está firme e que não vai renunciar, não vai cair", declarou o senador Sérgio Petecão (PSD-AC) ao jornal O Globo, autor da denúncia sobre a delação de Joesley.

Temer tinha na agenda encontro com diversos parlamentares nesta quinta.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247