Na Noruega, Temer diz que vai se reunir com “rei da Suécia”

Mais um vexame internacional do tour de Michel Temer na Europa; em uma entrevista coletiva na Noruega, o peemedebista trocou as bolas e disse que iria se reunir, nesta sexta-feira,  com o rei da Suécia, país vizinho; na verdade, Temer estará com o monarca norueguês, Harald V; Temer ainda teve de ouvir duras críticas à corrupção no país feitas pela primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg

Mais um vexame internacional do tour de Michel Temer na Europa; em uma entrevista coletiva na Noruega, o peemedebista trocou as bolas e disse que iria se reunir, nesta sexta-feira,  com o rei da Suécia, país vizinho; na verdade, Temer estará com o monarca norueguês, Harald V; Temer ainda teve de ouvir duras críticas à corrupção no país feitas pela primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg
Mais um vexame internacional do tour de Michel Temer na Europa; em uma entrevista coletiva na Noruega, o peemedebista trocou as bolas e disse que iria se reunir, nesta sexta-feira,  com o rei da Suécia, país vizinho; na verdade, Temer estará com o monarca norueguês, Harald V; Temer ainda teve de ouvir duras críticas à corrupção no país feitas pela primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em entrevista coletiva conjunta com Michel Temer, a primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, não poupou críticas à corrupção no Brasil. Quando tomou a palavra, o peemedebista trocou as bolas e pagou mais um mico internacional: disse que iria se reunir ainda nesta sexta-feira com o rei da Suécia. Ele estará com o monarca norueguês, Harald V.

As informações são de reportagem de Jamil Chade no Estado de S.Paulo.

"Ao tomar a palavra, Temer se confundiu e ao citar seus comprissos, indicou que estaria com o “Parlamento Brasileiro” e com o “rei da Suécia”. A agenda estabelece um encontro com o parlamento e o monarca norueguês.

Mas Temer também insistiu em dar um tom de normalidade. “As instituições funcionam com regularidade extraordinária e liberdade extraordinária”, disse. “A democracia é algo plantado formamente pela Constituição e praticada na realidade”, insistiu. “Não é sem razão que as medidas tomadas são amparadas pela Constituição, prestigiadas e incentivadas pelo governo”, afirmou.

“É o pensamento dela. Nós respeitamos”, disse Antonio Imbassahy, ministro da Secretaria de Governo e que insistiu que não ouviu ela falar em Lava Jato. “Ela não falou de Lava Jato”, insistiu."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247