'Não sou ditador, sou democrata, pô', diz Bolsonaro sobre votação de decreto das armas

Presidente Jair Bolsonaro, que já afirmou que quer a armar a população para evitar um golpe contra seu governo, disse que não poderá fazer nada caso o Senado derrube os decretos que flexibilizam a posse e o porte de armas pela população. “Eu não posso fazer nada. Eu não sou ditador, sou democrata, pô” , disse

REUTERS/Adriano Machado
REUTERS/Adriano Machado

247 - O presidente Jair Bolsonaro, que defende a liberação do uso de armas de fogo e que recentemente afirmou que isso seria uma forma de evitar um possível golpe de estado (leia no Brasil 247), disse que não poderá fazer nada, caso o Senado derrube os decretos que editou flexibilizando a posse e o porte de armas pela população. “Eu não posso fazer nada. Eu não sou ditador, sou democrata, pô”, disse ao ser questionado caso o governo seja derrotado na votação desta terça-feira (18). 

Na semana passada, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, por 15 votos a 9, que as medidas sejam derrubadas pelo plenário. Bolsonaro, que fez a defesa do uso de armas uma de suas bandeiras de campanha, porém, vem fazendo pressão para que as medidas sejam aprovadas.  

Nesta terça-feira, o deputado Eduardo Bolsonaro, um dos filhos do presidente, deixou claro que a real intenção da medida não é permitir que o 'cidadão de bem' se proteja da violência urbana, mas sim preparar milícias para que, armadas, elas possam derrubar governos, caso a 'liberdade' esteja em risco. (leia no Brasil 247). 

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247