No país do golpe, Temer diz que há certo desprezo à constituição

Depois de chegar ao poder por meio de um golpe parlamentar, Michel Temer diz que as pessoas não prestam muita atenção e não têm como hábito consultar o texto constitucional; a declaração foi feita quando ele dizia que acordos coletivos entre empregadores e trabalhadores - medida que terá prioridade na reforma trabalhista de seu governo - já está prevista na Constituição; "Nós lamentavelmente no Brasil não temos esse hábito e temos um certo desprezo pela Constituição Federal", declarou

Brasília - Presidente Michel Temer durante anúncio do calendário de saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), em cerimônia no Palácio do Planalto (Antonio Cruz/Agência Brasil)
Brasília - Presidente Michel Temer durante anúncio do calendário de saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), em cerimônia no Palácio do Planalto (Antonio Cruz/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - No país do golpe, onde chegou à presidência da República após ter participado do movimento para tirar uma presidente honesta e eleita, Michel Temer disse nesta terça-feira 14 que há certo "desprezo" pela Constituição Federal no Brasil.

Segundo ele, as pessoas não prestam muita atenção e não têm como hábito consultar o texto constitucional. A declaração foi feita quando Temer dizia que acordos coletivos entre empregadores e trabalhadores - medida que terá prioridade na reforma trabalhista de seu governo - já está prevista na Constituição. 

"Nós lamentavelmente no Brasil não temos esse hábito e temos um certo desprezo pela Constituição Federal. Aliás, um amigo meu professor sempre dizia: 'Quando está na Constituição Federal, as pessoas não prestam muita atenção. Se está na lei ordinária, passam-se os olhos. Se tiver em decreto do Poder Executivo, como há sempre a ideia da centralização, as pessoas prestam muita atenção. Se tiver em portaria, todo mundo obedece'", disse.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email