Nova ministra é chamada de abortista por base evangélica

Eleonora Menicucci toma posse hoje na Secretaria de Polticas para as Mulheres sob crticas. Ela alvo de uma campanha agressiva, encabeada pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB), por defender a prtica do aborto

Nova ministra é chamada de abortista por base evangélica
Nova ministra é chamada de abortista por base evangélica (Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil)

247 – A posse da ministra de Eleonora Menicucci nesta sexta-feira, 10, na Secretaria de Políticas para as Mulheres, será marcada por um protesto da bancada evangélica no Congresso, quase toda abrigada na base aliada. O motivo foram as declarações públicas da ministra a favor do aborto.

O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) atacou Eleonora no Twitter: "Essa posse da abortista amanhã (sexta-feira) é sintomática para todos nós e devemos mostrar de forma contundente a nossa revolta. Aborto não. Aliás, quando a gente lê várias declarações dessa nova ministra, ela está no lugar e na época errada, devia estar em Sodoma e Gomorra", completou o deputado.

Filiada ao PT, a socióloga defende a descriminalização do aborto como uma questão de saúde pública, como o crack e outras drogas, a dengue o HIV e todas as doenças infectocontagiosas. Ela já disse ter se submetido à prática duas vezes.

Há dois dias, os evangélicos estão em pé de guerra com o ministro Gilberto Carvalho. "Esse governo fala tanto em discriminação, e vem agora um ministro tomar uma posição de discriminação em relação aos evangélicos, chamando-os de retrógrados e dizendo que a lei do aborto não é aprovada por causa dos evangélicos. Não é a lei do aborto, é a lei do assassinato de crianças indefesas", protestou o líder do PR, Lincoln Portela (MG). O deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) também cobrou explicações do ministro e o acusou de discriminar os evangélicos. (Com Folha e AE)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247