Novo ministro da Justiça será Osmar Serraglio

Michel Temer escolheu nesta quinta-feira, 23, o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) como novo ministro da Justiça, para substituir Alexandre de Moraes, nomeado ao Supremo Tribunal Federal (STF); nome da bancada do PMDB da Câmara veio depois da pressão do grupo e da recusa do ex-ministro do STF Carlos Velloso, que declinou do convite por "questões éticas", impondo uma humilhação ao governo; Serraglio é aliado do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB) e empreendeu esforços para manter o mandato do ex-presidente da Câmara; anuncio oficial deve ser feito ainda nesta quinta-feira

Michel Temer escolheu nesta quinta-feira, 23, o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) como novo ministro da Justiça, para substituir Alexandre de Moraes, nomeado ao Supremo Tribunal Federal (STF); nome da bancada do PMDB da Câmara veio depois da pressão do grupo e da recusa do ex-ministro do STF Carlos Velloso, que declinou do convite por "questões éticas", impondo uma humilhação ao governo; Serraglio é aliado do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB) e empreendeu esforços para manter o mandato do ex-presidente da Câmara; anuncio oficial deve ser feito ainda nesta quinta-feira
Michel Temer escolheu nesta quinta-feira, 23, o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) como novo ministro da Justiça, para substituir Alexandre de Moraes, nomeado ao Supremo Tribunal Federal (STF); nome da bancada do PMDB da Câmara veio depois da pressão do grupo e da recusa do ex-ministro do STF Carlos Velloso, que declinou do convite por "questões éticas", impondo uma humilhação ao governo; Serraglio é aliado do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB) e empreendeu esforços para manter o mandato do ex-presidente da Câmara; anuncio oficial deve ser feito ainda nesta quinta-feira (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Michel Temer escolheu nesta quinta-feira, 23, o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) como novo ministro da Justiça, para substituir Alexandre de Moraes, nomeado ao Supremo Tribunal Federal (STF). A informação foi divulgada pela agência Reuters, citando uma fonte do Palácio do Planalto.

O anuncio oficial pode ser feito ainda nesta quinta-feira.

Ao blog da jornalista Andreia Sadi, Serraglio afirmou que bancada do PMDB se "uniu" e entendeu que o seu nome atende a um perfil técnico e político para o Ministério da Justiça.

Perguntado sobre a Operação Lava Jato, ele repetiu a frase do ex-ministro do STF Carlos Velloso, que chegou a ser convidado mas recusou o posto. "Ela é intocável. É uma questão judicial", disse Serraglio. 

O deputado negou que tenha sido aliado do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB) para ajudá-lo a preservar o seu mandato parlamentar. "Não fui aliado neste sentido. Os mais ferrenhos inimigos de Cunha reconheceram ao final do processo que eu fui imparcial", concluiu.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247