"Nunca conspirei e trabalhei para evitar o impeachment da Dilma", diz Temer

Ex-presidente Michel Temer (MDB-SP), um dos articuladores do golpe parlamentar de 2016 , disse que nunca “conspirou” para viabilizar o impeachment da então presidente Dilma Rousseff. “Conspiração alguma. Em uma certa ocasião eu até conversei com a ex-presidente, que pode testemunhar isso, dizendo que os pedidos de impedimento, e eu trabalhei nisso, seriam todos arquivados”, afirmou

(Foto: José Cruz/Agência Brasil))
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente Michel Temer (MDB-SP), um dos articuladores do golpe parlamentar de 2016 , disse que nunca “conspirou” para viabilizar o impeachment da então presidente Dilma Rousseff.Conspiração alguma. Em uma certa ocasião eu até conversei com a ex-presidente, que pode testemunhar isso, dizendo que os pedidos de impedimento, e eu trabalhei nisso, seriam todos arquivados”, disse Temer em entrevista ao jornal Valor Econômico. "Até disse: a senhora pode dormir tranquila. Depois, por eventos de natureza política, não foi possível evitar a deflagração do impedimento. Sempre trabalhei para evitar", completou. 

Segundo ele, apesar de ter trabalhado para evitar o impeachment “eventos de natureza política” acabaram por deflagrar o processo de impeachment. “Depois, por eventos de natureza política, não foi possível evitar a deflagração do impedimento. Sempre trabalhei para evitar”, disse  Temer em entrevista ao jornal Valor Econômico

Ainda segundo ele, Jair Bolsonaro “está dando sequência” ao que ele promoveu em todos os setores e que o atual governo precisa apresentar resultados. “Lamento dizer: se você está num sistema autoritário que dê pão à mesa de todos os brasileiros... você quer resultados. É sempre preciso conjugar os dois setores. Precisa ter privatização, liberalização, empresarial, com vistas à questão social”, afirmou

Segundo Temer, a sequência do seu governo é verificada “em todos os setores. No Acordo União Europeia-Mercosul, no caso da Previdência, no caso das privatizações. As privatizações feitas neste primeiro momento tinham sido todas planejadas e documentadas pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio [Gomes de Freitas], que era da PPI e trabalhava com o [Wellington] Moreira Franco. Tudo aquilo já estava organizado para ser feito”. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247