O encrencado futuro presidente da Câmara

O deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB/RN) é o favorito para presidir a Casa, mas tem também uma ficha repleta de denúncias; recursos de suas emendas parlamentares eram direcionadas para uma empresa de um de seus assessores

O encrencado futuro presidente da Câmara
O encrencado futuro presidente da Câmara (Foto: CELSO JUNIOR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Câmara dos Deputados pode estar prestes a eleger um presidente, no mínimo, polêmico. Henrique Eduardo Alves (PMDB/RN), deputado há mais de dez legislaturas, direcionou recursos de emendas parlamentares a uma empresa de um assessor lotado em seu próprio gabinete. É o que informa reportagem de Leandro Colon, neste domingo, na Folha.

Os recursos das emendas foram parar na empresa Bonacci Engenharia e Comércio, que pertence a Aluizio Dutra de Almeida e é também tesoureiro do PMDB em Natal (RN), a base eleitoral de Henrique Eduardo Alves. Segundo o esquema, o deputado direcionava emendas para prefeituras comandadas pelo PMDB no Rio Grande do Norte e os prefeitos, em seguida, contratavam a Bonacci. Os valores das emendas variavam entre R$ 100 mil e R$ 200 mil e beneficiavam cidades como São Gonçalo do Amarante, Brejinho e Campo Grande.

Em campanha para assumir a Câmara, Henrique Alves negou irregularidades e disse que acompanha apenas o processo para a liberação das emendas, sem participar das licitações feias pelas prefeituras.

Em 2002, Henrique Eduardo Alves foi cotado para ser vice de José Serra, mas perdeu a vaga quando um escândalo o derrubou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email