Oposição contraria STF e promete levar impeachment ao plenário

Mesmo com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que barrou o rito do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, o líder PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), confirmou que se o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rejeitar o novo pedido dos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr, protocolado nesta quarta-feira, 21, a oposição irá recorrer ao plenário, como previsto anteriormente pela oposição

Mesmo com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que barrou o rito do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, o líder PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), confirmou que se o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rejeitar o novo pedido dos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr, protocolado nesta quarta-feira, 21, a oposição irá recorrer ao plenário, como previsto anteriormente pela oposição
Mesmo com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que barrou o rito do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, o líder PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), confirmou que se o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rejeitar o novo pedido dos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr, protocolado nesta quarta-feira, 21, a oposição irá recorrer ao plenário, como previsto anteriormente pela oposição (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - A oposição vai recorrer ao plenário da Câmara dos Deputados caso o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rejeito o novo pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff assinado pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr, protocolado nesta quarta-feira.

Segundo o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), a oposição irá recorrer ao plenário com base no regimento interno apesar de liminares do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendendo rito do impeachment definido por Cunha que previa o recurso ao plenário.

O líder do DEM na Câmara dos Deputados, Mendonça Filho (PE), disse esperar que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decida até novembro sobre o novo pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, protocolado nesta quarta-feira.

Tanto Mendonça Filho quanto o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) se mostraram confiantes de que Cunha irá aceitar o novo pedido, que inclui denúncias de irregularidades nas contas do governo que teriam sido cometidas neste ano.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email