Oposição tenta barrar pronunciamento de Dilma na Justiça

A oposição entrou com uma ação na Justiça Federal de Brasília visando impedir que a presidente Dilma Rousseff faça um pronunciamento à nação em cadeia de rádio e televisão nesta sexta-feira (15); ação, movida pelo Solidariedade, alega que "o presidente da República poderá convocar as emissoras prestadoras dos serviços de radiodifusão sonora (rádio) e de sons e imagens (TV) tendo por escopo a preservação da ordem pública e da segurança nacional ou no interesse da administração, jamais, pois, para interesse pessoal"

A oposição entrou com uma ação na Justiça Federal de Brasília visando impedir que a presidente Dilma Rousseff faça um pronunciamento à nação em cadeia de rádio e televisão nesta sexta-feira (15); ação, movida pelo Solidariedade, alega que "o presidente da República poderá convocar as emissoras prestadoras dos serviços de radiodifusão sonora (rádio) e de sons e imagens (TV) tendo por escopo a preservação da ordem pública e da segurança nacional ou no interesse da administração, jamais, pois, para interesse pessoal"
A oposição entrou com uma ação na Justiça Federal de Brasília visando impedir que a presidente Dilma Rousseff faça um pronunciamento à nação em cadeia de rádio e televisão nesta sexta-feira (15); ação, movida pelo Solidariedade, alega que "o presidente da República poderá convocar as emissoras prestadoras dos serviços de radiodifusão sonora (rádio) e de sons e imagens (TV) tendo por escopo a preservação da ordem pública e da segurança nacional ou no interesse da administração, jamais, pois, para interesse pessoal" (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A oposição entrou com uma ação na Justiça Federal de Brasília visando impedir que a presidente Dilma Rousseff faça um pronunciamento à nação em cadeia de rádio e televisão nesta sexta-feira (15). A ação foi movida pelo Solidariedade que alega que não há previsão constitucional para a reaizaçao de um pronunciamento com finalidades pessoais.

"O presidente da República poderá convocar as emissoras prestadoras dos serviços de radiodifusão sonora (rádio) e de sons e imagens (TV) tendo por escopo a preservação da ordem pública e da segurança nacional ou no interesse da administração, jamais, pois, para interesse pessoal", diz a ação.

A tentativa de barrar o pronunciamento da presidente Dilma, acontece poucas horas após o governo anunciar que ela iria se posicionar sobre a votação da admissibilidade do processo de impeachment pela Câmara dos Deputados neste domingo (17).

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email