Padilha admite troca de ministério por votos

Em pleno processo de seleção do novo titular da Justiça, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, assumiu que o governo escolhe seus auxiliares com base no número de votos que ele pode lhe garantir no Congresso; afirmação foi feita durante uma palestra na Caixa; foi assim, relatou Padilha, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP); “A Saúde é de vocês, mas gostaríamos de ter um notável”, contou ter dito ao PP; “Diz para o presidente que nosso notável é o deputado Ricardo Barros”, respondeu a sigla; “Vocês garantem todos os votos do partido nas votações?”; “Garantimos”. “Então o Ricardo será o notável”; recentemente veio à tona que o ministro Ricardo Barros participou de um negócio 15 vezes maior que seu patrimônio

Em pleno processo de seleção do novo titular da Justiça, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, assumiu que o governo escolhe seus auxiliares com base no número de votos que ele pode lhe garantir no Congresso; afirmação foi feita durante uma palestra na Caixa; foi assim, relatou Padilha, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP); “A Saúde é de vocês, mas gostaríamos de ter um notável”, contou ter dito ao PP; “Diz para o presidente que nosso notável é o deputado Ricardo Barros”, respondeu a sigla; “Vocês garantem todos os votos do partido nas votações?”; “Garantimos”. “Então o Ricardo será o notável”; recentemente veio à tona que o ministro Ricardo Barros participou de um negócio 15 vezes maior que seu patrimônio
Em pleno processo de seleção do novo titular da Justiça, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, assumiu que o governo escolhe seus auxiliares com base no número de votos que ele pode lhe garantir no Congresso; afirmação foi feita durante uma palestra na Caixa; foi assim, relatou Padilha, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP); “A Saúde é de vocês, mas gostaríamos de ter um notável”, contou ter dito ao PP; “Diz para o presidente que nosso notável é o deputado Ricardo Barros”, respondeu a sigla; “Vocês garantem todos os votos do partido nas votações?”; “Garantimos”. “Então o Ricardo será o notável”; recentemente veio à tona que o ministro Ricardo Barros participou de um negócio 15 vezes maior que seu patrimônio (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em pleno processo de escolha do novo titular da Justiça, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha,  assumiu que o governo escolhe seus auxiliares com base no número de votos que ele pode lhe garantir no Congresso. A afirmação foi feita durante uma palestra na Caixa. Foi assim, relatou Padilha, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP). “A Saúde é de vocês, mas gostaríamos de ter um notável”, contou ter dito ao PP. “Diz para o presidente que nosso notável é o deputado Ricardo Barros”, respondeu a sigla. “Vocês garantem todos os votos do partido nas votações?”. “Garantimos”. “Então o Ricardo será o notável.”

As informações são da Coluna do Estadão.

Recentemente veio à tona que o ministro Ricardo Barros participou de um negócio 15 vezes maior que seu patrimônio.

“'Nosso objetivo era chegar aos 88% de apoio no Congresso. Não há na história do Brasil um governo que tenha conseguido 88% do Congresso. Isso Vargas não teve, JK não teve, FHC não teve, Lula não teve, só nós que conseguimos', disse Padilha."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247