Padilha admite troca de ministério por votos

Em pleno processo de seleção do novo titular da Justiça, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, assumiu que o governo escolhe seus auxiliares com base no número de votos que ele pode lhe garantir no Congresso; afirmação foi feita durante uma palestra na Caixa; foi assim, relatou Padilha, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP); “A Saúde é de vocês, mas gostaríamos de ter um notável”, contou ter dito ao PP; “Diz para o presidente que nosso notável é o deputado Ricardo Barros”, respondeu a sigla; “Vocês garantem todos os votos do partido nas votações?”; “Garantimos”. “Então o Ricardo será o notável”; recentemente veio à tona que o ministro Ricardo Barros participou de um negócio 15 vezes maior que seu patrimônio

Em pleno processo de seleção do novo titular da Justiça, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, assumiu que o governo escolhe seus auxiliares com base no número de votos que ele pode lhe garantir no Congresso; afirmação foi feita durante uma palestra na Caixa; foi assim, relatou Padilha, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP); “A Saúde é de vocês, mas gostaríamos de ter um notável”, contou ter dito ao PP; “Diz para o presidente que nosso notável é o deputado Ricardo Barros”, respondeu a sigla; “Vocês garantem todos os votos do partido nas votações?”; “Garantimos”. “Então o Ricardo será o notável”; recentemente veio à tona que o ministro Ricardo Barros participou de um negócio 15 vezes maior que seu patrimônio
Em pleno processo de seleção do novo titular da Justiça, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, assumiu que o governo escolhe seus auxiliares com base no número de votos que ele pode lhe garantir no Congresso; afirmação foi feita durante uma palestra na Caixa; foi assim, relatou Padilha, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP); “A Saúde é de vocês, mas gostaríamos de ter um notável”, contou ter dito ao PP; “Diz para o presidente que nosso notável é o deputado Ricardo Barros”, respondeu a sigla; “Vocês garantem todos os votos do partido nas votações?”; “Garantimos”. “Então o Ricardo será o notável”; recentemente veio à tona que o ministro Ricardo Barros participou de um negócio 15 vezes maior que seu patrimônio (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Em pleno processo de escolha do novo titular da Justiça, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha,  assumiu que o governo escolhe seus auxiliares com base no número de votos que ele pode lhe garantir no Congresso. A afirmação foi feita durante uma palestra na Caixa. Foi assim, relatou Padilha, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP). “A Saúde é de vocês, mas gostaríamos de ter um notável”, contou ter dito ao PP. “Diz para o presidente que nosso notável é o deputado Ricardo Barros”, respondeu a sigla. “Vocês garantem todos os votos do partido nas votações?”. “Garantimos”. “Então o Ricardo será o notável.”

As informações são da Coluna do Estadão.

Recentemente veio à tona que o ministro Ricardo Barros participou de um negócio 15 vezes maior que seu patrimônio.

“'Nosso objetivo era chegar aos 88% de apoio no Congresso. Não há na história do Brasil um governo que tenha conseguido 88% do Congresso. Isso Vargas não teve, JK não teve, FHC não teve, Lula não teve, só nós que conseguimos', disse Padilha."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247