Para melhorar articulação, governo receberá lideranças

Para melhorar a articulação do Governo no Congresso Nacional e destravar o orçamento da União, a presidente Dilma Rousseff deverá realizar uma reunião com os líderes da base aliada para discutir os cenários político e econômico até esta quinta-feira (5); segundo o ministro das Relações Institucionais, Pepe Vargas, e o Líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), o Planalto também assumiu o compromisso de não vetar R$ 10 milhões em emendas que os 267 novos deputados e senadores inseriram no Orçamento da União para 2015

Para melhorar a articulação do Governo no Congresso Nacional e destravar o orçamento da União, a presidente Dilma Rousseff deverá realizar uma reunião com os líderes da base aliada para discutir os cenários político e econômico até esta quinta-feira (5); segundo o ministro das Relações Institucionais, Pepe Vargas, e o Líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), o Planalto também assumiu o compromisso de não vetar R$ 10 milhões em emendas que os 267 novos deputados e senadores inseriram no Orçamento da União para 2015
Para melhorar a articulação do Governo no Congresso Nacional e destravar o orçamento da União, a presidente Dilma Rousseff deverá realizar uma reunião com os líderes da base aliada para discutir os cenários político e econômico até esta quinta-feira (5); segundo o ministro das Relações Institucionais, Pepe Vargas, e o Líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), o Planalto também assumiu o compromisso de não vetar R$ 10 milhões em emendas que os 267 novos deputados e senadores inseriram no Orçamento da União para 2015 (Foto: Paulo Emílio)

247 - Para melhorar a articulação do Governo no Congresso Nacional e destravar o orçamento da União, a presidente Dilma Rousseff deverá realizar uma reunião com os líderes da base aliada para discutir os cenários político e econômico até esta quinta-feira (5). Segundo o ministro das Relações Institucionais, Pepe Vargas, e o Líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), o Planalto também assumiu o compromisso de não vetar R$ 10 milhões em emendas que os 267 novos deputados e senadores inseriram no Orçamento da União para 2015.

A sinalização anunciada vem na esteira de uma convocação por parte do Planalto para que os líderes votem ainda nesta terça-feira (3) o Orçamento 2015, além de assegurar os vetos de projetos considerados impopulares, que afetam diretamente as contas públicas.

A inclusão das emendas parlamentares dos novos congressistas foi uma das promessas de campanha dos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). A iniciativa deverá custar cerca de R$ 2,6 bilhões. "O governo tem compromisso com os R$ 10 milhões", garantiu José Guimarães. Já os deputados reeleitos terão direitos a até R$ 17 milhões em emendas parlamentares.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247