Para STF, Bolsonaro quis dividir ônus de efeitos da pandemia, mas sofreu invertida de Toffoli

Integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) avaliaram que Jair Bolsonaro fez um movimento improvisado nesta quinta-feira (7) para tentar dividir com o STF o ônus dos efeitos da pandemia do coronavírus e constranger o tribunal, mas levou invertida

(Brasília - DF, 07/05/2020) Reunião com Braga Netto, Ministro-Chefe da Casa Civil da Presidência da República; Paulo Guedes, Ministro de Estado da Economia; Dias Toffoli, Presidente do Supremo Tribunal Federal; e grupo de empresários.
(Brasília - DF, 07/05/2020) Reunião com Braga Netto, Ministro-Chefe da Casa Civil da Presidência da República; Paulo Guedes, Ministro de Estado da Economia; Dias Toffoli, Presidente do Supremo Tribunal Federal; e grupo de empresários. (Foto: Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) avaliaram ao blogdo jornalista Gerson Cmarotti, no portal G1, que o presidente Jair Bolsonaro fez um movimento improvisado nesta quinta-feira (7) para tentar dividir com o STF o ônus dos efeitos da pandemia do coronavírus e constranger o tribunal.

Acompanhando de ministros e de um grupo de empresários, Bolsonaro atravessou a pé a Praça dos Três Poderes, em Brasília, e se dirigiu ao STF. O encontro não estava previsto na agenda.

Na avaliação desses integrantes, porém, Bolsonaro teve os planos frustrados. Isso porque o presidente do STF, Dias Toffoli, disse ser preciso respeitar a ciência na tomada de decisões. Toffoli também defendeu a criação de um comitê para discutir medidas, de maneira conjunta, entre União, estados e municípios.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247