Para Temer, eleitor é quem vai dizer se aprova ou não Lula em 2018

Alçado ao poder por meio de um golpe parlamentar, Michel Temer disse que "não tem nenhum fator negativo" em uma eventual participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na eleição presidencial de 2018; pesar da afirmação, Temer disse, que existem uma "série de condicionantes" para isso e que o eleitor é quem deve dizer se "aprova" esta participação; "É positivo se o Lula participar, se o João da Silva participar, se o José das Abóboras participar. Quantos queiram participar. Acho que não tem nenhum fator negativo", disse; "O eleitor é que vai dizer se aprova, se não aprova", completou

Alçado ao poder por meio de um golpe parlamentar, Michel Temer disse que "não tem nenhum fator negativo" em uma eventual participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na eleição presidencial de 2018; pesar da afirmação, Temer disse, que existem uma "série de condicionantes" para isso e que o eleitor é quem deve dizer se "aprova" esta participação; "É positivo se o Lula participar, se o João da Silva participar, se o José das Abóboras participar. Quantos queiram participar. Acho que não tem nenhum fator negativo", disse; "O eleitor é que vai dizer se aprova, se não aprova", completou
Alçado ao poder por meio de um golpe parlamentar, Michel Temer disse que "não tem nenhum fator negativo" em uma eventual participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na eleição presidencial de 2018; pesar da afirmação, Temer disse, que existem uma "série de condicionantes" para isso e que o eleitor é quem deve dizer se "aprova" esta participação; "É positivo se o Lula participar, se o João da Silva participar, se o José das Abóboras participar. Quantos queiram participar. Acho que não tem nenhum fator negativo", disse; "O eleitor é que vai dizer se aprova, se não aprova", completou (Foto: Paulo Emílio)

247 - Alçado ao poder por meio de um golpe parlamentar, Michel Temer disse que ""não tem nenhum fator negativo" em uma eventual participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na eleição presidencial de 2018. Apesar da afirmação, Temer disse, que existem uma "série de condicionantes" para isso e que o eleitor é quem deve dizer se "aprova" esta participação.

"É positivo se o Lula participar, se o João da Silva participar, se o José das Abóboras participar. Quantos queiram participar. Acho que não tem nenhum fator negativo", disse Temer em entrevista ao site Poder 360.

Lula foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processo da Lava Jato na primeira instância, e pode ficar fora do pleito caso a decisão seja confirmada pela segunda instância judicial

"Acho o seguinte. Nós estamos num sistema democrático pleno. Ninguém pode negar. As instituições estão funcionando plenamente. Isto é importante dizer. Tem repercussão internacional. Quando vejo gente falando mal do Brasil, eles não se apercebem que isto cria um clima negativo para o país. Você divide os brasileiros. Acho que nós não temos que fazer isso. Então num sistema democrático, quem quiser se habilita, se candidata. O eleitor é que vai dizer se aprova, se não aprova", destacou Temer ao falar sobre o assunto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247