Patrimônio do filho de Bumlai foi de R$ 3,8 mi a R$ 273 mi em 8 anos

Documento da Receita Federal sobre a evolução patrimonial da família de José Carlos Bumlai, preso na Operação Lava Jato, mostra que o filho Maurício Bumlai conseguiu subir o patrimônio de R$ 3,86 milhões, em 2004, para R$ 273,80 milhões, em 2012; outro filho de Bumlai, Fernando, teve evolução de R$ 3,28 milhões para R$ 59,22 milhões no mesmo período; ambos os irmãos tem em comum o beneficiamento de valores de uma transação suspeita em 2012 que envolveu negócios da família com o BTG Pactual, de André Esteves

22 10 15 EXCLUSIVO EMBARGADO ESPECIAL NACIONAL . Entrevista com o empresario investigado pelo Lava Jato Jose Carlos Bumlai FOTO GABRIELA BILO / ESTADAO
22 10 15 EXCLUSIVO EMBARGADO ESPECIAL NACIONAL . Entrevista com o empresario investigado pelo Lava Jato Jose Carlos Bumlai FOTO GABRIELA BILO / ESTADAO (Foto: Aquiles Lins)

247 - Documento da Receita Federal sobre a evolução patrimonial da família de José Carlos Bumlai, preso na Operação Lava Jato, mostra que o patrimônio de Maurício Bumlai, filho do pecuarista, saltou de R$ 3,86 milhões, em 2004, para R$ 273,80 milhões, no ano de 2012.

O documento Informação de Pesquisa e Investigação PR20150042, foi anexado ao pedido de prisão de Bumlai, feito pelos procuradores da força-tarefa da Lava Jato, em Curitiba, e encaminhado para a Procuradoria Geral da República para embasar o inquérito que levou para a cadeia o banqueiro André Esteves, dono do BTG Pactual, e do líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-SP), na última quarta-feira, 24.

O material aponta negócios suspeitos entre a família do pecuarista e o banco BTG Pactual. Os nomes de outros parentes são analisados, como de outro filho, Fernando Bumlai. Seu patrimônio declarado aumentou de R$ 3,28 milhões em 2004, para R$ 59,22 milhões em 2012.

Ambos os irmãos tem em comum o beneficiamento de valores de uma transação suspeita em 2012 que envolveu negócios da família e o banco de Esteves. Num deles. O BTG Pactual aparece na reestruturação financeira de uma usina e também na compra por R$ 195 milhões uma fazenda dos filhos de Bumlai.

“Resta suspeição sobre o valor efetivamente pago pelo BTG Pactual aos irmãos na compra do imóvel rural, seja para menos ou para mais, já que identificou-se valores na faixa de R$ 40 milhões e não de R$ 50 milhões para cada um, além das sequenciais incompreensíveis operações bancárias de débito da conta de Maurício Bumlai, de cerca de R$ 132 milhões, fatos que merecem aprofundamento da investigação”, registra documento da Receita.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247