Patrus: pedido de impeachment parte de controvérsias políticas

Ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, afirma que o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff não tem nenhuma fundamentação jurídica: “É um procedimento às avessas. Ao invés de partir de um fato jurídico — um crime de responsabilidade, afronta explícita à Constituição — parte de controvérsias políticas, inevitáveis e até mesmo desejáveis no contexto democrático, e sai, como a lanterna de Diógenes, em busca de uma fundamentação jurídica inexistente” 

2015mai13 Ministro Patrus Ananias, participa da reunião ordinária do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável - CONDRAF. Eixo do debate: PPA e Plano Safra. Foto Albino Oliveira/MDA
2015mai13 Ministro Patrus Ananias, participa da reunião ordinária do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável - CONDRAF. Eixo do debate: PPA e Plano Safra. Foto Albino Oliveira/MDA (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, questiona o processo contra Dilma Rousseff no Congresso e afirma que o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff não tem nenhuma fundamentação jurídica:

“É um procedimento às avessas. Ao invés de partir de um fato jurídico — um crime de responsabilidade, afronta explícita à Constituição — parte de controvérsias políticas, inevitáveis e até mesmo desejáveis no contexto democrático, e sai, como a lanterna de Diógenes, em busca de uma fundamentação jurídica inexistente”, diz.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email