Paulinho quer que Janot deponha na CPI da Petrobras

Aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP) leu nesta quinta-feira, 7, requerimento encaminhado à CPI da Petrobras em que pede a convocação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot; ele defendeu que Janot explique o critério adotado para definição dos políticos investigados; "Só porque é procurador-chefe não pode ser investigado?", insistiu Paulinho, que contou com apoio de deputados do PMDB; medida foi rechaçada por membros da CPI  

Aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP) leu nesta quinta-feira, 7, requerimento encaminhado à CPI da Petrobras em que pede a convocação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot; ele defendeu que Janot explique o critério adotado para definição dos políticos investigados; "Só porque é procurador-chefe não pode ser investigado?", insistiu Paulinho, que contou com apoio de deputados do PMDB; medida foi rechaçada por membros da CPI
 
Aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP) leu nesta quinta-feira, 7, requerimento encaminhado à CPI da Petrobras em que pede a convocação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot; ele defendeu que Janot explique o critério adotado para definição dos políticos investigados; "Só porque é procurador-chefe não pode ser investigado?", insistiu Paulinho, que contou com apoio de deputados do PMDB; medida foi rechaçada por membros da CPI   (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP) leu nesta quinta-feira, 7, requerimento encaminhado à CPI da Petrobras em que pede a convocação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Paulinho, que é aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), um dos investigados na Operação Lava Jato, defendeu que Janot explique o critério adotado para definição dos políticos investigados.

O deputado afirmou também disse que haveria uma denúncia, feita supostamente por funcionários do Ministério Público, de que uma empresa de assessoria de imprensa estaria vazando informações das investigações. "Só porque é procurador-chefe não pode ser investigado?", insistiu Paulinho, que contou com o apoio de parlamentares do PMDB na proposição. O deputado quer que seu requerimento seja votado na próxima semana.

Desde a divulgação dos pedidos de investigação contra parlamentares envolvidos na Lava Jato, em março, Eduardo Cunha, um dos mencionados, faz críticas públicas à atuação de Janot. 

Membro da comissão, a deputada Eliziane Gama (PPS-MA) avisou que poderá entrar no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a iniciativa por "constrangimento ilegal do procurador". "Não cabe a essa Casa ingerir em uma investigação em curso", declarou. O relator Luiz Sérgio (PT-RJ), o PT e o PSOL também se colocaram contra o requerimento. "Isso depõe contra a CPI", argumentou Luiz Sérgio.

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247