Pesquisas Datafolha e Ipsos trarão efeitos da condenação de Lula

Nos próximos dias, o Datafolha e Ipsos divulgarão pesquisas eleitorais para presidente; os levantamentos serão os primeiros que trarão um termômetro sobre o cenário eleitoral após o ex-presidente Lula, líder nas pesquisas eleitorais, ter sido condenado em segunda instância; se Lula conseguir concorrer sob judice, o maior beneficiário da condenação pode ser ele mesmo, segundo a avaliação do diretor do Datafolha, Mauro Paulino: "É possível até que ganhe mais intenção de voto. A trajetória anterior do Lula mostra que ele sai fortalecido de episódios como esse"

Pesquisas Datafolha e Ipsos trarão efeitos da condenação de Lula
Pesquisas Datafolha e Ipsos trarão efeitos da condenação de Lula (Foto: Ricardo Stuckert)

Infomoney - A proximidade do pleito eleitoral e o noticiário agitado pós-condenação de Lula em segunda instância na última quarta devem fazer com que o mercado e a população em geral fiquem mais atentos às pesquisas eleitorais. Desde o dia 1 de janeiro de 2018, elas têm que ser registradas no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Nos próximos dias, o Datafolha e Ipsos divulgarão pesquisas eleitorais para presidente, conforme registro no Tribunal.

A pesquisa Datafolha para presidente foi contratada pela própria Folha de S.Paulo e registrada no TSE em 25 de janeiro, com divulgação prevista para o dia 31, quarta-feira. O levantamento será realizado entre os dias 29 e 30 de janeiro com 2.800 entrevistados.

Já a Ipsos tem divulgação prevista para a sua primeira pesquisa eleitoral para o próximo dia 30 de janeiro, terça-feira. O levantamento contará com 1200 entrevistados.

Esses levantamentos serão os primeiros que trarão um termômetro sobre o cenário eleitoral após o ex-presidente Lula, líder nas últimas pesquisas eleitorais, ter sido condenado em segunda instância. Os principais pontos para ficar atento são: se o petista conseguirá manter o seu patamar de intenção de voto nas pesquisas após a condenação (era de 34% segundo o Datafolha de dezembro) e quem seria o principal beneficiário em simulações com Lula fora das eleições.

Se Lula conseguir concorrer sob judice, o maior beneficiário da condenação pode ser ele mesmo, segundo a avaliação do diretor do Datafolha, Mauro Paulino, em entrevista ao jornal Valor Econômico.

"É possível até que ganhe mais intenção de voto. A trajetória anterior do Lula mostra que ele sai fortalecido de episódios como esse", disse Paulino ao jornal. Ele lembra que, no auge do mensalão, o petista perdeu força num primeiro momento, mas logo se recuperou e impulsionou até mesmo a eleição da ex-presidente Dilma Rousseff.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247