PF acha contratos de câmbio milionários com coronel amigo de Temer

Uma operação da Polícia Federal encontrou contratos de câmbio de US$ 1,2 milhão e ‎€ 1,4 milhão em endereço do coronel aposentado da PM João Baptista Lima Filho, amigo de Michel Temer (PMDB) há mais de 30 anos e apontado por delatores como operador do pemedebista; ele é acusado de receber R$ 1 milhão que teriam Temer como destinatário final, de acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR). A defesa de Temer tem negado as acusações;  documentos estão relacionados à empresa AF Consult, que mantém contrato com a Eletronuclear e é alvo de investigação da Operação Lava-Jato por indícios de corrupção e lavagem de dinheiro

coronel Lima
coronel Lima (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal (PF) encontrou contratos de câmbio de US$ 1,2 milhão e ‎€ 1,4 milhão em endereço do coronel aposentado da PM João Baptista Lima Filho, amigo de Michel Temer (PMDB) há mais de 30 anos e apontado por delatores como operador do pemedebista. Ele é acusado de receber R$ 1 milhão que teriam Temer como destinatário final, de acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR). A defesa de Temer tem negado as acusações.

Os documentos estão relacionados à empresa AF Consult, que mantém contrato com a Eletronuclear e é alvo de investigação da Operação Lava-Jato por indícios de corrupção e lavagem de dinheiro.

A PF apreendeu “pasta com documentos referentes a operações em moedas estrangeiras e um contrato de câmbio (Dascam Corretora de Câmbio Ltda.)” e também uma “pasta preta (Ourinvest) com documentos referentes a operações de transferência em moeda estrangeira, confirmações de operações de derivativos, contratos de câmbio, operações de derivativos do Banco Ourivest e AF Consultant Switzerland Ltda.”

O material foi encontrado na sede da Argeplan Arquitetura e Engenharia Ltda., na Rua Juatuba, 68, na Vila Madalena, em São Paulo.

As informações são de reportagem de André Guilherme Vieira no Valor.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247