PF liga ministro das Cidades a empresa investigada na PB

Aguinaldo Ribeiro (PP) teria participado de reunião com executivos da Ideia Digital, que de acordo com a Polícia Federal, foi favorecida em processo licitatório suspeito na Paraíba, mesmo estado do político; assessoria do ministro atribui denúncia a adversários políticos que buscam, sem provas, "desviar o foco dos graves indícios já constatados pela PF"

PF liga ministro das Cidades a empresa investigada na PB
PF liga ministro das Cidades a empresa investigada na PB
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Um relatório da Polícia Federal sobre um esquema de desvio de dinheiro na Paraíba ligou o nome do ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, aos executivos da empresa Ideia Digital Sistemas Consultorias, que teria sido beneficiada por meio de um processo licitatório "fictício". O ministro, que é do Estado, teria se reunido com os empresários, em 2009, para apresentar integrantes da Rede Brasileira de Visualização (RBV) "como pessoas credenciadas pelo próprio Ministério da Ciência e Tecnologia". A informação sobre o relatório da PF foi noticiada por uma reportagem do Estadão nesta terça-feira 23.

O contrato firmado entre a empresa, o governo federal e a Prefeitura de João Pessoa teve o valor de R$ 6,24 milhões, com o objetivo de criar uma rede de banda larga sem fio na cidade, o Jampa Digital. Na época, o projeto foi enviado à Câmara pelo então deputado Rômulo Gouveia (PSD), hoje vice-governador do Estado, que destinou emenda ao Orçamento de R$ 18 milhões para a iniciativa. Gouveia agora responde pelo crime de corrupção passiva. Apesar de não estar entre os investigados, Ribeiro, que era secretário municipal de Ciência e Tecnologia, é alvo de sugestão da PF para que a Procuradoria-Geral da República envie os autos ao Supremo Tribunal Federal, foro competente para autorizar uma eventual apuração.

Segundo o governo da Paraíba, o projeto foi licitado pela Secretaria Municipal de Administração e executado pela Secretaria de Ciência e Tecnologia. A assessoria de imprensa de Aguinaldo Ribeiro atribui as acusações a "adversários políticos" do ministro, que querem, "por meio de declarações sem provas", "desviar o foco dos graves indícios já constatados pela PF com o objetivo único de embaralhar as investigações". E acrescenta: "O ministro repudia essa tentativa por parte desses adversários políticos". A assessoria nega categoricamente que Ribeiro tenha participado da licitação. "A licitação que resultou na contratação da Ideia Digital não foi conduzida por Aguinaldo Ribeiro e sim pela Secretaria de Administração do município, na época". "Portanto, ele não licitou, não contratou nem pagou esta empresa".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247