PGR encerra negociação de delação premiada com Cunha

A Procuradoria-Geral da República fechou acordo de delação premiada com o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ); para a PGR, Cunha não oferece uma boa delação por não reconhecer seus crimes em esquemas de propina na Petrobras e por proteger a cúpula do partido dele, o PMDB

Brasília- DF 01-07-2015- Vice-Presidente Michel Temer, Eduarado Cunha, Renan Calheiros, Presidente do PT, Rui Falcão durante posse da presidente do PCdoB, Luciana Santos. Foto: Lula Marques/ Agência PT
Brasília- DF 01-07-2015- Vice-Presidente Michel Temer, Eduarado Cunha, Renan Calheiros, Presidente do PT, Rui Falcão durante posse da presidente do PCdoB, Luciana Santos. Foto: Lula Marques/ Agência PT (Foto: Charles Nisz)

247 - As negociações da Procuradoria-Geral da República (PGR) para aceitar a delação premiada do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) terminaram, segundo a coluna Expresso, da revista Época.

A delação de Cunha era temida por todo o establishment político, especialmente pela cúpula do PMDB.

Segundo os procuradores que trabalharam no acordo, Cunha não reconhece sua participação nos esquemas de propina na Petrobras.

O peemedebista também poupa políticos do partido. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, classificou a proposta de delação de Cunha como “biscoito de polvilho”: só faz barulho. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247