Piada pronta: governo promete combater crime organizado no dia da volta de Padilha

No mesmo dia em que Eliseu Padilha, que usava quatro senhas para cobrar propinas, segundo os delatores da Odebrecht, reassumiu a Casa Civil, o governo de Michel Temer anuncia em seu site que "vai aprimorar prevenção e combate ao crime organizado"; o Planalto se refere à criação nesta segunda-feira 13, em uma reunião entre Temer e ministros, do Comitê Integrado de Pronta Resposta à Atividade Criminosa, integrado por três ministérios

No mesmo dia em que Eliseu Padilha, que usava quatro senhas para cobrar propinas, segundo os delatores da Odebrecht, reassumiu a Casa Civil, o governo de Michel Temer anuncia em seu site que "vai aprimorar prevenção e combate ao crime organizado"; o Planalto se refere à criação nesta segunda-feira 13, em uma reunião entre Temer e ministros, do Comitê Integrado de Pronta Resposta à Atividade Criminosa, integrado por três ministérios
No mesmo dia em que Eliseu Padilha, que usava quatro senhas para cobrar propinas, segundo os delatores da Odebrecht, reassumiu a Casa Civil, o governo de Michel Temer anuncia em seu site que "vai aprimorar prevenção e combate ao crime organizado"; o Planalto se refere à criação nesta segunda-feira 13, em uma reunião entre Temer e ministros, do Comitê Integrado de Pronta Resposta à Atividade Criminosa, integrado por três ministérios (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo Michel Temer anunciou nesta segunda-feira 13, quando Eliseu Padilha reassumiu o ministério da Casa Civil após uma licença médica, ações para combater o crime organizado.

Padilha é delatado na Laa Jato. Segundo ex-executivos da Odebrecht, ele usava quatro senhas para cobrar propinas da empreiteira, cada uma se referindo a um valor diferente. O ministro também foi apontado como responsável por receber parte dos R$ 10 milhões solicitados por Temer à empreiteira como caixa 2 para financiar campanhas do PMDB.

Em seu site, o Palácio do Planalto noticia uma reunião feita nesta segunda entre Temer e integrantes do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin), onde foi discutida a criação do Comitê Integrado de Pronta Resposta à Atividade Criminosa, que será integrado por três ministérios: Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Defesa e Justiça e Segurança Pública.

Confira a nota aqui.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247