Planalto trabalha para aumentar margem para barrar o golpe

Segundo o colunista Gerson Camarotti, números apresentados por líderes de partidos aliados à presidente Dilma Rousseff aponta uma margem de mais de 80 votos acima do mínimo necessário para barra o processo de impeachment na Câmara; Palácio do Planalto, entretanto, só contabiliza de forma segura 50 votos acima dos 171 deputados; para aumentar a margem, já está sendo intensificada a relação com a base aliada; medida incluiria negociação com o líder do PMDB, deputado Leonardo Picciani (RJ), para entregar a Secretaria de Aviação Civil à bancada, após o pedido de demissão de Eliseu Padilha

Segundo o colunista Gerson Camarotti, números apresentados por líderes de partidos aliados à presidente Dilma Rousseff aponta uma margem de mais de 80 votos acima do mínimo necessário para barra o processo de impeachment na Câmara; Palácio do Planalto, entretanto, só contabiliza de forma segura 50 votos acima dos 171 deputados; para aumentar a margem, já está sendo intensificada a relação com a base aliada; medida incluiria negociação com o líder do PMDB, deputado Leonardo Picciani (RJ), para entregar a Secretaria de Aviação Civil à bancada, após o pedido de demissão de Eliseu Padilha
Segundo o colunista Gerson Camarotti, números apresentados por líderes de partidos aliados à presidente Dilma Rousseff aponta uma margem de mais de 80 votos acima do mínimo necessário para barra o processo de impeachment na Câmara; Palácio do Planalto, entretanto, só contabiliza de forma segura 50 votos acima dos 171 deputados; para aumentar a margem, já está sendo intensificada a relação com a base aliada; medida incluiria negociação com o líder do PMDB, deputado Leonardo Picciani (RJ), para entregar a Secretaria de Aviação Civil à bancada, após o pedido de demissão de Eliseu Padilha (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Colunista Gerson Camarotti afirmou neste sábado, 5, que uma contagem conservadora entre a presidente Dilma Rousseff e ministros petistas mostra que o governo escaparia do processo de impeachment na Câmara com uma margem considerada pequena.

Segundo o jornalista, apesar dos números apresentados por líderes de partidos aliados, que aponta uma margem de mais de 80 votos acima do mínimo necessário, o Palácio do Planalto só contabiliza de forma segura 50 votos acima dos 171 deputados para barrar o impedimento de Dilma.

A estratégia é chegar a uma margem segura. Por isso, vai ser intensificada a relação com a base aliada. Planalto já iniciou negociação com o líder do PMDB, deputado Leonardo Picciani (RJ), para entregar a Secretaria de Aviação Civil à bancada, após o pedido de demissão de Eliseu Padilha.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247