“Podem vasculhar tudo que fiz na campanha. Não vão achar nada”

Ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva disse se orgulhar por ter sido o tesoureiro da campanha que levou à reeleição da presidente Dilma Rousseff e assegurou não haver irregularidades na prestação de contas; "Por isso que as contas da presidente foram aprovadas por unanimidade pelos ministros do TSE", afirmou; o ministro destacou ainda que todas as doações de empreiteiras são legais, inclusive a da UTC, no valor de R$ 7,5 milhões

O ministro da Secom, Edinho Silva, fala  na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara sobre as ações prioritárias da pasta (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O ministro da Secom, Edinho Silva, fala na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara sobre as ações prioritárias da pasta (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, disse se orgulhar por ter sido o tesoureiro da campanha que levou á reeleição da presidente Dilma Rousseff e que não existem irregularidades na prestação de contas.

"Podem vasculhar tudo que eu fiz na campanha enquanto tesoureiro que nada vão achar. Por isso que as contas da presidente foram aprovadas por unanimidade pelos ministros do TSE", garantiu.

A declaração de Edinho foi feita nesta quarta-feira (13) durante uma audiência pública realizada na Câmara dos Deputados, em Brasília. Ele havia sido questionado pelo deputado Izalci Lucas (PSDB-DF) sobre as denúncias de repasse de dinheiro originário de casos de corrupção, como o esquema investigado pela Operação Lava Jato, teriam irrigado os cofres do PT.

"Sou contra a criminalização da política e penso que a verdade de todos os fatos têm que vir a público o mais rápido possível, porque a criminalização da política é ruim para todos nós", afirmou Edinho. "Não tenho nenhum problema com isso, tenho orgulho da função que tive", completou.

Abaixo, reportagem da Agência Brasil:

Ministro diz que doações da UTC à campanha de Dilma foram legais e declaradas

Carolina Gonçalves - O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, disse hoje (13) que nenhuma conta foi tão auditada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como a da campanha à reeleição da presidenta Dilma Rousseff. Acrescentou que as arrecadações junto às empresas estão dentro da legalidade e foram declaradas à Justiça Eleitoral, incluindo a doação feita pela UTC, no valor de R$ 7,5 milhões.

O dono da empreiteira, Ricardo Pessoa, está em Brasília para assinar o acordo de delação premiada da Operação Lava Jato. O empresário é acusado de chefiar um grupo de empresas que negociava contratos com a Petrobras. "Os R$ 7,5 milhões existem e foram declarados. Ele fez doações legais. As contas da presidenta foram aprovadas por unanimidade pelo TSE", disse.

Edinho Silva afirmou que jamais manteve "este tipo de contato" com a estatal. "Jamais cumpri este tipo de função", afirmou. O ministro - que foi tesoureiro da campanha à reeleição de Dilma - garantiu que atuou dentro da legalidade e assegurou que qualquer pessoa pode "vasculhar" as contas.

"Fui um tesoureiro de campanha como todos os demais [tesoureiros] que procuraram empresários brasileiros e doações foram feitas, todas elas legais e declaradas", afirmou, acrescentando ter "orgulho" pelo trabalho realizado. O ministro ainda descartou a análise de parlamentares da oposição que afirmam que a campanha de 2014 foi trazida para o centro da crise política do país. "Estamos vivendo um momento de embate político no país, que é natural na democracia, e espero que a verdade venha à tona o mais rápido possível para que a gente possa sair dessa esfera de criminalização da política", completou.

Sobre o pronunciamento de Dilma, que utilizou apenas as redes sociais no último Dia do Trabalho, o ministro explicou que a presidenta apenas optou por valorizar outro modal de comunicação. Segundo ela, Dilma tem preferido as redes sociais "por conta da interatividade" destes canais com a população."Ela continua utilizando os modais tradicionais. O que ela fez no 1º de maio foi usar um modal importante que é o das redes sociais. [Para divulgar] toda atividade pública [da presidenta], ela está se comunicando pela TV, emissoras de rádio, jornais e revistas. Mas a internet é um modal específico", afirmou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247