Política de coalizão leva Dilma às lágrimas

Presidente defendeu um governo formado a partir de polticas de alianas,que levaram o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) a assumir o Ministrio da Pesca nesta sexta-feira, mas lamentou a sada do deputado federal Luiz Srgio (PT-RJ) do cargo

Política de coalizão leva Dilma às lágrimas
Política de coalizão leva Dilma às lágrimas (Foto: DORIVAN MARINHO/Agência Estado)

247 - A presidente Dilma Rousseff foi às lágrimas nesta sexta-feira durante a posse do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) no Ministério da Pesca pela saída do ex-ministro Luiz Sérgio do governo. “Nós temos certeza de que, ao longo do caminho, muitas vezes somos obrigados a prescindir de grandes colaboradores”, lamentou a presidente, com a voz embargada. Deputado federal pelo PT do Rio de Janeiro, Luiz Sérgio, que já havia dado lugar a Ideli Salvatti na Secretaria de Relações Institucionais da Presidência, reassumirá o mandato na Câmara Federal.

Dilma defendeu a política de coalizão do governo ao dar posse a Crivella, mas não conseguiu esconder o incômodo com a saída de Luiz Sérgio do cargo. “A constituição de alianças políticas é fundamental para que o Brasil seja administrado, governado de forma democrática e, ao mesmo tempo, que o governo represente os interesses da nação”. E mandou um recado para os críticos: “não há contradição em governar baseado em uma coalizão. Isso só é contraditório para aqueles que não percebem que é possível e necessário, quando se chega ao governo eleito pelo voto popular, falar para todos os brasileiros”.

Segundo Dilma, a chegada de Crivella significa o reconhecimento do PRB na grande coalização que se estruturou em torno do governo dela. E representa, também, o retorno do partido à aliança que, no mandato de Luiz Inácio Lula da Silva foi representado pelo vice-presidente José Alencar. "Crivella passa a ser integrante do governo e tenho certeza do apoio dele no esforço conjunto para a realização de grandes tarefas", disse Dilma.

Deus

O novo ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella, fez um pedido a Deus, para que não permita irregularidades na pasta. "Que o Senhor conceda a todos os meus colaboradores e funcionários do Ministério da Aquicultura e Pesca boa vontade, sabedoria, e discernimento, para que continue não ocorrendo no Ministério qualquer deslize desses que desanimam o povo e fazem o cidadão de bem sentir vergonha de ser brasileiro", afirmou Crivella, em seu discurso de posse, no Palácio do Planalto. E emendou: "por isso, humildemente, peço, me ajude, Meu Deus."

A presidente Dilma Rousseff falou em seguida. E depois de elogiar Crivella, afirmando que ele é um bom gestor, ressaltou que a responsabilidade de decidir exige padrões éticos elevados, compromisso com a Justiça, com a ética, "e, sobretudo, compromisso com o povo brasileiro".

Com Agência Brasil e Agência Estado

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247