Política não tem “amiguinho” para sempre, diz Maia sobre Temer

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já mostra que o Planalto não terá muito o que comemorar após a provável vitória em relação à segunda denúncia da PGR; “Em política não tem amiguinho. Muito menos para sempre”, afirmou Maia sobre o relacionamento com o peemedebista, de quem ele ressaltou que não é amigo; a mudança radical de tom do deputado, que antes exaltava a "lealdade" ao governo, mostra que Michel Temer deve mesmo se tornar um zumbi no cargo, com Maia se esforçando para estabelecer o protagonismo político

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já mostra que o Planalto não terá muito o que comemorar após a provável vitória em relação à segunda denúncia da PGR; “Em política não tem amiguinho. Muito menos para sempre”, afirmou Maia sobre o relacionamento com o peemedebista, de quem ele ressaltou que não é amigo; a mudança radical de tom do deputado, que antes exaltava a "lealdade" ao governo, mostra que Michel Temer deve mesmo se tornar um zumbi no cargo, com Maia se esforçando para estabelecer o protagonismo político
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já mostra que o Planalto não terá muito o que comemorar após a provável vitória em relação à segunda denúncia da PGR; “Em política não tem amiguinho. Muito menos para sempre”, afirmou Maia sobre o relacionamento com o peemedebista, de quem ele ressaltou que não é amigo; a mudança radical de tom do deputado, que antes exaltava a "lealdade" ao governo, mostra que Michel Temer deve mesmo se tornar um zumbi no cargo, com Maia se esforçando para estabelecer o protagonismo político (Foto: Giuliana Miranda)

247 - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que, da sua parte, não há problema com o governo.  Maia afirmou, no entanto, que não é amigo de Michel Temer.

“Em política não tem amiguinho. Muito menos para sempre”, respondeu o deputado, ao ser questionado por jornalistas se havia virado “amiguinho para sempre” de Temer. A pergunta foi feita porque Maia chegou à Câmara, após a reunião no Planalto, exibindo uma fisionomia alegre. “Estou de bom humor porque consegui ver meu filho hoje”, brincou.

do Planalto para votação de propostas importantes para o ajuste fiscal, mesmo se confirmada a expectativa do governo de que os deputados barrarão a denúncia contra Temer, Maia disse não acreditar em rebelião de aliados. “O Brasil vive uma crise profunda e a gente não pode misturar embate político com agenda da Câmara”, afirmou ele.

Confiante de que os parlamentares enterrarão a acusação contra Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), o governo já prepara o "day after" da crise e vai lançar o mote “Agora é Avançar”. O slogan aparecerá em campanhas publicitárias, discursos, programas e também nas redes sociais, conforme antecipou o Estado.

Temer foi acusado pelo ex-procurador geral da República Rodrigo Janot de chefiar uma organização criminosa e obstruir a Justiça nas investigações da Lava Jato. Padilha e Moreira Franco, por sua vez, foram denunciados por organização criminosa. O governo passou os últimos dias em negociações com os deputados, que incluíram distribuição de cargos e liberação de emendas, e está confiante na vitória em plenário, nesta quarta-feira.

As informações são de reportagem de Vera Rosa no Estado de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247